O universo

O universo transforma-se sempre que uma mulher dança…Há no movimento feminino tal graça e sentir que cada gesto se transforma num prenúncio de amor.
Mas sendo eu mulher, quero contar-vos um segredo que provavelmente muitas de vós já conhecem.
Dançar é possuir o corpo num ato de amor individual, amor próprio, amor egoísta.

É expurgar a alma de todos os fantasmas e deixá-la ser sensual e menina, ser transparente e ingénua, ser mulher e felina, ser apenas, sermos nós, com tudo aquilo que carregamos por uma vida.
Dançar é apenas um pretexto para amar, o amor que trazemos em cada pedaço do nosso corpo. Quando uma mulher dança, o universo transforma-se, porque ela é o universo.
Diz a ciência, em factos comprovados que ao dançarmos o corpo liberta endorfinas de prazer e transforma a doença em saúde, a tristeza em alegria e as lágrimas em sorrisos.

Quando deixamos o corpo ganhar movimento através da dança, liberta-se o pico de produção hormonal  e a nossa líbido aumenta, devido a produzirmos mais progesterona. Reduzimos o stress, porque os músculos ficam mais relaxados ao produzirmos mais  endorfinas associadas ao bem-estar.
Uma mulher quando dança e usa o poder do corpo, ela apossa-se de tudo o que a rodeia porque melhora as suas capacidades cinestésicas e visuais.

Ao ficarmos mais felizes, estamos a estimular o nosso sistema imunológico.
Através da dança, estamos ainda cuidar do corpo porque este namoro entre corpo, alma e o movimento traz-nos benefícios de cura e de equilíbrio físico, emocional e social.
Evita a solidão, reforça a musculatura, melhora a função cardio-respiratória, reduz o risco de doenças, faz a prevenção do câncer do colon, aumenta a densidade óssea, corrige a postura, o equilíbrio, a força e a coordenação.

unnamed.jpg

Dançar queima 130 calorias em apenas meia hora, diminui o risco de diabetes e cria resistência muscular.
Combate a celulite, tonifica os músculos e define o contorno das pernas e da cintura devido ao estímulo da circulação linfática.
Dançar é escrever com o corpo, um poema que rima com sorriso e alegria, dançar é apenas um pretexto, para amar.

Dispa-se de todo o tipo de preconceitos, vergonhas e pudores e vista as suas melhores cores entregando-se ao amor, com paixão intensa, por si…pelo poder que emana para o universo.
Como diz o meu poeta favorito, “afinal a dança é apenas um pretexto”…deixo-vos aqui “O Pretexto”, que serviu para ele me abraçar…mas engane-se quem imaginar que ele não sabe dançar…porque nesta sincronia de corpos, a sós ou acompanhados, desde que sejamos únicos, tudo pode acontecer, basta apenas deixar o corpo falar…

O Pretexto

Persigo o teu olhar
Na procura de saber como se vestem
As palavras que nele passeiam.
Contemplo de longe os teus gestos
Tentando adivinhar que afagos
Se escondem nas tuas mãos.
Que importa o não saber dançar?
Um dia hei-de atrever-me a convidar-te.
Afinal, a dança é apenas um pretexto
Para te poder abraçar…

Rui Manuel – Cuca (Poeta do Fado e da música Africana)
UMA CRÓNICA DO LIVRO “CRONICAS DE BEM VIVER” Paula Mouta • 15 de agosto de 2016

Deixe o seu comentário