4 de Junho de 1969: Há 48 anos três destemidos jovens  angolanos protagonizavam um feito histórico e heróico. 

No dia 04 de junho de 1969, três jovens angolanos protagonizavam uma acção corajosa, desviando um avião da DTA para Brazzaville. Luís Neto ” Loló Kiambata”, Diogo de Jesus e Manuel Soares da Silva ” Nelito Soares ” , três protagonistas de um feito inédito. Um histórico acontecimento hoje quase no esquecimento.

Eis a informação posta a circular na altura pela Policia Politica Portuguesa “PIDE”, sobre a acção corajosa de 3 destemidos jovens nacionalistas angolanos:

“No dia 4/6/69, pelas 15.30, o avião C-3 matrícula CR-LCY, da DTA, da carreira Luanda/Sazaire, com 5 tripulantes e 12 passageiros a bordo, foi obrigado a mudar de rumo para Ponta Negra pelos seguintes criminosos armados: -LUÍS ANTÓNIO NETO, o “Lóló”, solteiro, estudante, nascido a 4/11/ 47, natural de Luanda, filho de Alberto António Neto e de Josefa Luís António Neto e residente em Luanda. –

DIOGO FERNANDES JACINTO LOURENÇO DE JESUS, solteiro, funcionário do Laboratório de Engenharia de Angola, nascido a 2/11/942, natural de Luanda, filho de Jorge Jacinto de Jesus e de Ana Lourenço de Jesus e residente em Luanda. –

MANUEL CAETANO SOARES DA SILVA, solteiro, funcionário da Imprensa Nacional de Angola, filho de Luís Gomes Soares da Silva e de Isabel Luciana Soares da Silva e residente em Luanda.

O assalto teve início a meio do percurso Ambrizete/Sazaire, quando Manuel Caetano Soares da Silva entrou bruscamente na cabine de pistola em punho e intimou a tripulação a seguir para Brazaville. Ao mesmo tempo, o Luís António Neto, de frente para os passageiros, ostentava uma GMO fazendo menção de lhe tirar a cavilha de segurança. Nesta altura, porém o passageiro Mário Gameiro envolveu-se em luta para lhe tirar a granada, sendo auxiliado pelo radiografista Luís Torres e Arménio Mata, 1º subchefe da PSP. Entretanto, o assaltante Diogo Fernandes Jacinto Lourenço de Jesus, que se encontrava na retaguarda dos passageiros, ordenou a Luís António Neto, o “Lóló”, para lançar a granada, sublinhando a ordem com dois tiros de pistola que perfuraram o tecto do avião”.

Dos três , apenas Luis António Neto ” Loló Kiambata” está vivo . Um dia e um registo de um ” quatros ” da história de Angola , a par do 4 de Janeiro ( Dia dos Mártires da Repressão Colonial) , 4 de Fevereiro (Data do Início da Luta Armada de Libertação Nacional), 4 de Abril ( Dia da Paz e da Reconciliação Nacional) . Sendo, o 4 de Junho , uma data ainda esquecida .

Fica a data, os feitos e a história. Honra e glória aos heróis da pátria .

Fontes : Conversas à sombra da Mulemba, Vivências.

Deixe o seu comentário