400 milhões de dólares do “Crédito Jovem” foram desviados para o exterior

kalola Store

Guilhermina Fundanga falava à imprensa durante uma palestra realizada no Complexo Futungo II sobre o tema : “A juventude e o empreendedorismo, políticas públicas”, organizado pelo Centro de Formação Política do MPLA e dirigida aos seus militantes e da sua juventude.

A secretária de Estado para a Juventude disse que, após a tomada de posse, a actual direcção do Ministério da Juventude e Desportos avaliou a implementação de vários projectos daquele departamento ministerial, tendo percorrido em todas as províncias para verificar o seu impacto nos jovens.

“Chegávamos a determinadas províncias e questionávamos se os jovens tinham recebido o crédito e a resposta foi não”, disse, sublinhando que registaram muitos “vícios” na implementação do programa “Crédito Jovem” pelo anterior Executivo, apesar de boa intenção do Estado de criar a iniciativa para beneficiar a juventude angolana.

“Beneficiaram jovens que tinham alguma influência por parte daqueles que estavam no Executivo, demos conta disto através de documentos dos jovens que beneficiaram de créditos”.

Guilhermina Fundanga disse ainda que muitos dos beneficiários deste crédito transferiram o dinheiro para o exterior do país, não investindo em Angola como era o propósito, e contabilizado, o Estado ficou prejudicado em mais de 400 milhões de dólares.

A responsável disse que, nalguns casos, a não aplicação do dinheiro em projectos concretos impossibilitou o seu reembolso ao Estado e, consequentemente, serviu para que outros jovens não beneficiassem de empréstimos.

A secretária de Estado para a Juventude disse que, depois desta constatação, o Ministério da Juventude e Desportos, sob orientação do Titular do Poder Executivo, cancelou a concessão do crédito e está a trabalhar agora na reorganização do programa para reiniciar todo o processo.

“É um processo em que trabalhámos com bastante paciência e Quando tivermos as condições criadas, então vamos reabrir. A verdade é que, de momento, o Governo preferiu cancelar”, disse.

Em carteira, disse, existem vários projectos que estão a ser desenvolvidos pelo Ministério e pelo Conselho Nacional da Juventude, apesar das dificuldades financeiras que o Estado enfrenta.

Fonte: Jornal de Angola.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.