Destaques

A comunidade energética de África está em guerra

À medida que o mundo debate as alterações climáticas e se devemos utilizar/monetizar o gás e outros recursos naturais, não nos podemos esquecer que até 2050 haverá cerca de um quarto da população mundial (dois biliões e meio de pessoas) a viver em África. Mais precisamente, a população da África Subsariana deverá duplicar até 2050 (o que constitui um aumento de 99%) com 60% da população abaixo dos 25 anos.

As estatísticas são preocupantes e sugerem uma guerra travada entre o acesso à energia e o crescimento populacional – no entanto, as soluções estão na adoção de tecnologia avançada e na proliferação de Wi-Fi gratuita de forma a reforçar a aprendizagem e o acesso aos recursos já existentes – mas criticamente no âmbito no qual os projetos são desenvolvidos. Isto não vai além das capacidades dos atuais participantes do mercado, no entanto, o número de IPP que conseguem a obtenção de condições de financiamento é terrivelmente baixo e dolorosamente lento e corre o risco de ser superado pelo crescimento populacional dentro de dez anos – sim, o setor de energia da África está em guerra contra o crescimento populacional e se a comunidade de investimento não puder competir, corre o risco de se tornar obsoleta.

Como sempre, o Fórum de Energia da África irá focar-se no desenvolvimento de projetos, reunindo as partes interessadas para ter discussões explícitas fixadas no setor privado. Contudo, o âmbito no qual o setor privado opera precisa de evoluir de forma a promover uma maior estabilidade do ponto de vista das eleições governamentais e outras mudanças à medida que os climas políticos evoluem e os papéis ministeriais mudam.  A estrutura setorial do Egito libertou 28 GW em apenas 8 anos e é um modelo que pode ser replicado em todo o continente em várias escalas.  O modelo do Gabinete IPP da África do Sul foi largamente aceite como o programa de energia renovável mais bem-sucedido (e agressivo) em qualquer lugar do mundo e pode ser reproduzido mais uma vez em todo o continente…

Sim, existem vários exemplos que os decisores e as partes interessadas podem inferir e o tempo está a esgotar-se, mas a batalha ainda não está perdida.

Junte-se a nós no aef para se fazer ouvir, e a menos de 11 semanas para o evento com 60% da agenda já fechada, mais de 150 oradores incluindo 8 Ministros da Energia, 10 serviços de utilidade pública, 21 instituições financeiras de desenvolvimento e mais de 70 investidores do setor privado, o palco está mais pronto que nunca para mais um #aef22 impactante.

Registe-se e participe em conversas interativas que irão focar-se em tópicos importantes tais como:

  • Preparação de projetos – Como é que as partes interessadas podem trabalhar melhor juntos para aumentar o número de projetos que conseguem obter um financiamento? Quais são os exemplos recentes de sucesso e de fracasso?  
  • Implementar soluções práticas para os serviços de utilidade pública de África – quais são as soluções realistas para resolver os desafios de financiamento e de modernização?
  • Da COP26 para a COP27 – como é que a conversa está a mudar – a voz de África numa batalha global contra as alterações climáticas, e o que é que a África pretende da COP27?
  • Como é que os compromissos assumidos pela comunidade de financiamento do desenvolvimento na COP26 estão a ser canalizados – o que significa o financiamento da transição energética e como está a ser posto em prática?
  • Gás – O combustível de África veio para ficar – existe alguma desconexão entre a política e a realidade? De onde virão os financiamentos? Construir
  • África como uma fábrica de hidrogénio ecológico – quanto é que os países africanos realmente ganharão economicamente ao investir em hidrogénio
  • Integrar a energia solar e eólica na rede – pôr em prática a infraestrutura de distribuição necessária para absorver a geração
  • Descarbonização industrial e corporativa – como é que as indústrias e o setor de mineração estão a desempenhar o seu papel na descarbonização?

O Country Spotlights também trará Ministros e Diretores de Serviços Públicos do Quénia, África do Sul, Nigéria, Gana, Egito, Tanzânia, Botswana, Marrocos, Senegal, Costa do Marfim, Moçambique e outros para anunciar projetos e oportunidades em tempo real para as partes interessadas se envolverem.

“Após o Country Project Spotlight: Na sessão do Gana fomos inundados de investidores que queriam conhecer-nos para conversar mais. Quero agradecer-lhes imenso por nos darem esta oportunidade. Desde o encontro, seis investidores viajaram para o Gana para conversarmos mais sobre oportunidades de desenvolvimento do Setor Imobiliário.” Anthony Boye Osafo-Kissi, Vice-presidente executivo, Engenharia, Bui Power Authority, Gana 

Estão confirmados os seguintes especialistas líderes:

  • Dr. Matthew Opoku Prempeh (MP), Ministro da Energia, Gana
  • S. Ex.ª Ilustre Fafa Sanyang, Ministro do Petróleo e da Energia, Gâmbia
  • Christopher Kirigua, Diretor Geral, Parcerias Público-privadas, Tesouro Público, Governo do Quénia
  • Ngozi Beckley-Lines, Diretor de Projetos, Ministério da Energia, Serra Leoa
  • Marcelino Gildo Alberto, Presidente e CEO, Eletricidade de Moçambique (EDM), Moçambique
  • Mandy Rambharos, Diretora-geral: Just Energy Transition, Eskom, África do Sul
  • Daniel Bargoria, Diretor Geral, Autoridade Regulatória da Energia e do Petróleo (EPRA), Quénia
  • Hizkyas Dufera, Assessor Especial do Ministro, Ministério da Água, Irrigação e Energia (MoWIE), Etiópia

Certifique-se de que se junta a nós no 24.º Fórum anual de Energia de África, de 21 a 24 de junho na Tour & Taxis em Bruxelas, agora que voltamos ao nosso grande evento, atendendo a todas as suas necessidades de desenvolvimento de negócios.  Poupe 40% no preço total de delegado ao registar-se até sexta-feira, dia 8 de abril.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Botão Voltar ao Topo
%d bloggers like this: