É tudo uma merda!

Aquilo que está cada vez pior, isto segundo a mais divulgada opinião pública, é esta merda. De facto, não se entabula actualmente entre os angolanos conversa nenhuma que não contenha obrigatoriamente a proposição: “Esta merda está cada vez pior”. Que merda afinal vem a ser esta? É pelos vistos, uma merda que está cada vez pior. Deve ser, por conseguinte, o agravamento de uma merda que já esteve melhor, um endurecimento da situação, em suma.

É que embora não possa haver, logicamente merdas que estejam sempre melhores pode concluir-se ser sempre melhor a merda que se tem hoje (mesmo que esteja cada vez pior), do que a merda que vai haver amanhã. Antigamente, se bem se lembram, esta merda não ia estando, como agora, cada vez pior. O mais frequente era aquela merda estar rigorosamente “cada vez mais na mesma”. Qual era o cidadão de pendor ordinário que nesses tempos não gostava de declarar que “as moscas mudam mas a merda é a mesma?”Bons tempos, afinal, esses em que a merda não piorava, limitando-se a ficar na mesma.

A pergunta frequente: “Como é que vai essa merda? “, não é, no contexto sociolinguístico angolano, uma pergunta no verdadeiro sentido do termo. Trata-se simplesmente de uma espécie cerimonial de senha passe exclusivamente com o fito de obter do outro, a resposta apetecida do : ” Está cada vez pior”. Está cada vez pior por culpa daqueles que nos meteram na tal merda, mas que por ironia do destino, hoje caminham para a mesma merda . Já repararam que quando estamos na merda procuramos e gostamos de companhia? Principalmente se for de alguém que por sua culpa, sua tão grande culpa nos tenha colocado na merda.

Um tipo que desvia 500 milhões de dólares dos contribuintes e os coloca bem “adormecido” numa conta privada no estrangeiro; Um tipo que pega no dinheiro de contribuintes e o entrega aos amigos para abrir contas offshores nas Ilhas Maurícias, é um tipo que se está lixando para esta merda toda . É como quem diz : ” Pegamos na massa e vamos embora desta merda, deixamos os gajos na merda “.

É como quem se reúne com empresários tailandeses com o objectivo de tramar o Estado. É assim quando se perde o sentido de Estado e só se age num sentido: Lixar o Estado e deixar-nos todos numa boa merda .

Procuram livrar-se da merda por eles criada e deixá-la com quem nada tem a ver com esta merda toda . Para quem anda farto de merdices , não há pior merda do que suportar ou limpar merda alheia .

Uma merda para os angolanos o que é ? É tudo ! Basta dizer num recinto público: ” É tudo uma merda ” ou “esta merda está lixada”, para ver abanar com compungida concordância todas as cabeças presentes. Se se falar noutra coisa qualquer, não há duas opiniões semelhantes . Contudo, instala-se a unanimidade em torno desta ideia-matriz, segundo a qual é infalível: ” É tudo uma merda! ” ou ” estamos metidos numa grande merda “.

Nota : Este texto é uma adaptação do original ” A Merda” do jornalista e cronista português, Miguel Esteves Cardoso.

Deixe o seu comentário