Sinais e Sintomas

Algumas crianças autistas são tão impassíveis que parecem ser surdas, enquanto outras têm apenas uma pequena demora na fala e no desenvolvimento social. Os sinais e sintomas do autismo variam de leves a graves e podem demonstrar algumas ou todas as características.

O autismo pode ou não ser evidente em crianças até as idades de 2 a 6 anos, mas as características podem ser notadas quando ainda bebés.

Outra característica é a comunicação.

Crianças autistas às vezes falam “perto” das pessoas, em vez “com as pessoas”, e falam uma frase atrás da outra, em vez de dialogar com os outros. Pode parecer que estão fixadas num único assunto e falarão sem parar sobre aquilo.


Crianças autistas parecem ser apegadas a hábitos, gostam de movimentos e frases contínuos e repetidos, balançam e giram brinquedos e objectos repetidamente, apreciam fazer a mesma coisa da mesma maneira com alguma frequência.

Algumas crianças autistas batem a cabeça no chão ou na parede, e até infligem Auto ferimentos. Com frequência expressam suas necessidades em maneiras não-verbais: apontando, gesticulando, agarrando, gritando. Parecem estar aborrecidas sem motivo aparente. Algumas crianças autistas parecem contentes quando estão sozinhas, e até parecem ficar distantes ou desinteressadas em socializar com os outros.

Ataques de fúria, falta de afeição e pouco contacto visual também são traços comuns do autismo.

Podem surgir padrões de fala ou de brincadeiras pouco usuais, juntamente com fixação em objectos, brinquedos ou outros itens da casa.

Quando reagem à dor, crianças autistas podem ser muito sensíveis a ela, ou não sensíveis o suficiente, e podem não demonstrar um senso adequado de medo ou perigo.

Podem também ser hiper- insensíveis a estímulos como visões, sons, cheiros e toque.

Podem ser hiperactivas ou inactivas, e inconsistentes tanto em talento motor, sejam básicos ou refinados.

A percentagem de crianças autistas que desenvolvem epilepsia é de 20 a 30, e crianças cujo talento verbal diminui até se deteriorar antes dos 3 anos de idade correm risco de terem ataques ou epilepsia.

 

Adolescentes autistas ocasionalmente têm depressão ou dificuldades comportamentais, podem ter retardamento mental ou problemas psicológicos, mas isto não é necessariamente resultado do autismo.

Uma avaliação cuidadosa e o histórico dado pelos pais são factores importantes para ajudar no diagnóstico do autismo.

O diagnóstico precoce é importante para o desenvolvimento, educação, tratamento e funcionamento da criança autista.