Aeroporto de Lisboa: Detido cidadão angolano suspeito de tráfico de menores

Elementos do Serviço de Estrangeiros e Fronteiras (SEF) , detiveram este domingo de manhã, no Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa, um cidadão angolano suspeito de tráfico de menores.

O suspeito tinha acabado de aterrar num voo proveniente de Luanda, acompanhado por duas mulheres e três bebés e garantia que estava em trânsito para Cabo Verde, o que deixou os inspectores do SEF em alerta.

publicidade

Uma análise aos documentos levantou ainda mais suspeitas e acabou detido. O cidadão angolano será um “facilitador” de uma rede internacional de tráfico de seres humanos que opera em Angola, trazendo menores para Europa para obtenção de subsídios, segundo o próprio SEF.

As duas mulheres e os três bebés foram acolhidos no Centro de Instalação Temporária do Aeroporto de Lisboa e pediram ajuda ao Estado português, efectuando logo um pedido de asilo.

O homem detido está indiciado por falsificação de documentos, auxílio à imigração ilegal e associação ao auxílio à imigração ilegal. Será hoje presente a tribunal para primeiro interrogatório judicial.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Em 2018, o SEF registou 26 processos-crime com este tipo de criminalidade, sendo a maior parte deles com origem em Angola. Foram sinalizadas 59 vítimas de tráfico de seres humanos, das quais 19 eram menores.

“Preocupante em todo esse processo é o silêncio das autoridades angolanas. Não há um pronunciamento do MIREX, do Ministério do Interior ou mesmo o da Justiça. As próprias autoridades portuguesas reclamam da inércia e da falta de cooperação das autoridades angolanas num assunto bastante delicado . Todas as semanas são retiradas crianças de Angola, por estas redes que se movimentam com certa impunidade em território nacional”, afirmou a Vivências Press News, um antigo funcionário do Serviço de Migração e Estrangeiros (SME).

Fonte: CM .

Deixe o seu comentário