Angola: 39% das crianças do Cuando Cubango realizam trabalhos forçados

Os dados constam do Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde (IIMS 2015-2016), recém apresentado no Cuando Cubango.

De acordo com o documento, citado pela Angop, para além da elevada prevalência de trabalho infantil forçado nas ” Terras do Progresso ” (39%), os resultados apontam para uma baixa taxa de registo de nascimentos : 75% das crianças permanecem indocumentadas no Cuando Cubango.

A nível nacional, o IIMS revela que o Bié tem a menor percentagem de crianças registadas (11%), enquanto o Cuanza Sul apresenta a maior taxa de trabalho infantil: 45%.

O Inquérito de Indicadores Múltiplos e de Saúde (IIMS) foi realizado pelo instituto Nacional de Estatística (INE) e pelo Ministério da Saúde angolano, com o apoio de várias instituições internacionais e a assistência técnica do Fundo das Nações Unidas para a Infância (UNICEF).

Fonte: Novo Jornal.