Angola diz ter fechado contratos de investimento de mais de milhares de euros em dois anos

kalola Store

O director da Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP) de Angola disse hoje que aquele órgão governamental fechou contratos com investidores de mais de 24 mil milhões de dólares (20,4 mil milhões de euros) nos últimos dois anos.

A UTIP foi criada em 2015, pelo então chefe de Estado angolano, José Eduardo dos Santos, que colocou Norberto Garcia na liderança daquele serviço técnico especializado no apoio ao Presidente da República na preparação, condução e negociação de projecto de investimento privado acima de 10 milhões de dólares.

Norberto Garcia, que fazia hoje o balanço das actividades da UTIP, explicou que nos últimos dois anos foram fechados por aquele órgão 65 Projectos de investimento privados, sendo que apenas um destes, assinado este ano, prevê metade do total de investimento captado desde 2015.

“Temos em carteira, que foi aprovada pelo ex-Presidente da República, José Eduardo dos Santos, uma refinaria que vai ser implementada na província do Namibe. Estamos a falar de um projecto de 12 mil milhões de dólares [10,2 mil milhões de euros], que neste momento tem tudo para ser implementado com um parceiro russo. Estamos satisfeitos com os resultados”, disse.

Segundo o responsável, estes projetos estão a ser implementados a diferentes velocidades, prevendo gerar, globalmente, a médio e longo prazo, mais de 3,5 milhões de postos de trabalho, nos setores da indústria, agricultura e energia.

Norberto Garcia referiu, ainda, que há várias propostas de investimento privado, que são ainda intenções.

Desde que João Lourenço tomou posse como terceiro Presidente da República de Angola, a 26 de Setembro, não foram aprovados novos contratos de investimento em processos conduzidos pela UTIP, que normalmente envolvem, entre outros apoios, a atribuição de incentivos fiscais.

Fonte: lusa

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.