Angola é o maior país dos Palop a enviar remessas para Portugal

As remessas dos emigrantes subiram 30% em julho face ao mesmo mês do ano passado, com os trabalhadores portugueses nos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (PALOP) a enviarem mais quase 60% que em julho de 2016.

 

Olhando para os PALOP, o aumento é acentuado: em julho, estes emigrantes enviaram para Portugal 32,8 milhões de euros, o que representa um acréscimo de 59,9% face aos 20,5 enviados em julho do ano passado.

Angola, como habitualmente, representa a esmagadora maioria das transferências, sendo responsável por 32,08 dos 32,85 milhões de euros que representam a totalidade das verbas enviadas dos PALOP.

A verba que os trabalhadores nacionais em Angola mandaram para Portugal subiu 63,7%, o que é quase diametralmente oposto à redução de 47,8% das verbas enviadas em julho pelos angolanos a trabalhar em Portugal.

Já os africanos lusófonos enviaram 3,25 milhões de euros em julho, o que equivale a uma descida de 17,7% face aos 3,95 milhões enviados um ano antes.

No tags for this post.

Deixe o seu comentário