Angola e Palestina unem-se à ONU para lembrar Fidel Castro

O legado do líder Fidel Castro para as gerações presentes e futuros amantes da paz e defensores da justiça social destacaram-se na reunião.

Angola e a Palestina unem-se hoje para homenagear o líder histórico da Revolução Cubana, Fidel Castro, pelo seu compromisso com a autodeterminação e a independência dos povos.

O embaixador angolano nas Nações Unidas, Ismael Gaspar Martins, e o observador permanente palestino, Riyad Mansour, destacaram o legado de Fidel para as gerações presentes e futuras de defensores da paz e da justiça social.

O comandante é um exemplo universal, e para nós em Angola é sinónimo de independência e dignidade, referiu Gaspar Martins.

De acordo com o diplomata africano, o líder cubano que morreu em Novembro vive e viverá para sempre na memória de um povo que ele ajudou a libertar.

Por sua parte, Mansour disse que Fidel Castro ocupa um lugar especial nos corações palestinos.

Fidel lutou contra injustiças e pela liberdade e dignidade de todos os seres humanos, é por isso que o amamos, iremos recordá-lo para sempre, afirmou Riyad Mansour.

Martins e Mansour participaram esta quarta-feira numa homenagem ao líder revolucionário da Missão Permanente de Cuba na ONU, onde exibiram 16 fotos tiradas pela imprensa Latina sobre a vida e obra de Fidel e apresentaram o livro Knockout escrito por Julio Pabón para revelar detalhes da visita do comandante a Sul Bronx em 1995.

Deixe o seu comentário