Angola participa no Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infraestruturas em Macau

kalola Store

O Fórum Internacional sobre o Investimento e Construção de Infraestruturas vai receber, a 7 e 8 de Junho, uma delegação angolana. A nona edição deste evento vai contar com a “participação de mais de 1.500 pessoas, das áreas da política,comercial e académica de mais de 60 países e regiões, incluindo cerca de 50 funcionários governamentais”, afirmou, em conferência de imprensa, o vogal executivo do Instituto de Promoção do Comércio e do Investimento de Macau, Sam Lei.

Angola vai fazer-se representar pelo ministro da Construção e Obras Públicas, Manuel Tavares de Almeida, pelo vice-governador da província de Cabinda, Macosso Alberto Paca Zuzi, e pelos vice-governadores das províncias de Luanda e da Lunda Norte, José Paulo Kai e Lino dos Santos, respectivamente.

O evento vai ter a tónica no desenvolvimento de infraestrutura e cooperação internacional através da inovação e de novos meios tecnológicos, mas também na promoção de construção de infraestruturas nos países do projecto chinês Uma Faixa, Uma Rota.

Anunciada pelo Presidente chinês, Xi Jinping, a iniciativa “Faixa económica da rota da seda e a Rota da seda marítima do século XXI”, mais conhecida como “Uma Faixa, Uma Rota”, está avaliada em 900 mil milhões de dólares, e visa reactivar as antigas vias comerciais entre a China e a Europa através da Ásia Central, África e Sudeste Asiático.

Na sexta-feira está programado um seminário sobre Construção de Infraestruturas entre a China e os Países de Língua Portuguesa,com a participação de funcionários governamentais “de cinco países e regiões de língua portuguesa” com o objectivo de estreitar a “cooperação e oportunidades no desenvolvimento de construção de infraestruturas entre empresas da China,dos países de língua portuguesa e de Macau”, declarou a vice-presidente da Associação dos Construtores Civis Internacionais da China, na mesma ocasião.

“Nos últimos anos,os países de língua portuguesa tiveram um rápido crescimento económico e a sua procura por infraestruturas é mais forte”, pode ler-se na página oficial do evento.Os responsáveis do Fórum relembraram ainda a crescente cooperação energética entre os países de língua portuguesa e a China.

Vai ser ainda discutido, entre “especialistas de departamentos governamentais da China e dos países de língua portuguesa” a forma como as empresas da China Continental e de Macau podem participar em projectos de infraestrutura nos países de língua portuguesa.

Este ano, não há representantes portugueses nem vão participar “empresas de Portugal”, anunciou Sam Lei, em resposta aos jornalistas.No ano passado, Portugal fez-se representar pelos secretários de Estado da Indústria e da Internacionalização, à data, João Vasconcelos e Jorge Oliveira, respectivamente.

Já o Brasil vai estar representado pelo vice-governador do Estado da Bahia, João Filipe De Souza Leão, enquanto que em representação de Moçambique vai estar presente o vice-ministro das Obras Públicas, Habitação e Recursos Hídricos, Victor Tucale.

Fonte: Lusa

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.