Angola pede adesão à Commonwealth

Angola vai pedir a adesão à Commonwealth, a comunidade que junta os países de língua inglesa. Esta decisão foi anunciada pelo ministro britânico dos Negócios Estrangeiros. Na sua conta de Twitter, Boris Johnson deu assim conta do facto.

“É esplêndido que Angola se queira juntar à família da Commonwealth. Saudamos o empenho do Presidente Lourenço em fazer reformas, no combate à corrupção e na melhoria dos direitos humanos. Esperamos saudá-lo brevemente no Reino Unido”.

Numa entrevista concedida à Euronews, no âmbito da sua visita a França, João Lourenço já tinha admitido esta possibilidade:

“A exemplo do que se passa com Moçambique, que está ali encravado entre países anglófonos e acabou por aderir à Commonwealth, também Angola está cercada, não por países lusófonos, mas por países francófonos e anglófonos. Portanto, não se admirem que estejamos a pedir agora a adesão à francofonia e que daqui a uns dias estejamos a pedir também a adesão à Commonwealth”, afirmou o Presidente angolano.

Moçambique, de expressão portuguesa, e o Rwanda, antiga colónia belga, são para já os dois únicos países membros da Commonwealth que não foram antigas colónias do Reino Unido.

Angola é um dos Estados-Membros da CPLP (Comunidade dos Países de Língua Portuguesa) e esta opção deve ser vista como uma forma de diversificar as suas parcerias, depois do esfriamento das relações com Portugal, em resultado do chamado caso Manuel Vicente.

Fonte: Jornal de Negócios

Deixe o seu comentário