Angola perdeu cerca de 800.000 utilizadores de telemóveis desde 2014

Segundo o administrador executivo do Instituto Angolano das Comunicações (INACOM), António Moniz Gonçalves, a quebra de utilizadores, agravada em 2016, deveu-se ao “período de registo obrigatório dos números de telemóveis”, mas no entanto, foi ligeiramente recuperada em 2017.

Os dados constam do “Observatório das Tecnologias de Informação e Comunicação de Angola” e foram apresentados durante o segundo workshop de formação sobre indicadores das Tecnologias de Informação e Comunicação, que se realizou ontem em Luanda.

Em 2014, Angola contava com 14.052.558 utentes das redes móveis registados, número que em 2016 caiu até aos 13.001.124. No ano seguinte, esse registo melhorou, para 13.323.952 utilizadores, mas ainda longe dos números de 2014, período que também coincide com a crise económica, financeira e cambial que o país vive desde então.

Em declarações aos jornalistas, no final do workshop, o secretário de Estado das Telecomunicações, Mário Augusto de Oliveira, apontou precisamente a “crise económica” como uma das razões da quebra de utilizadores de telemóveis.

“Foi um período em que iniciámos o processo de registo e actualização dos números, porque a informação inicial era do número de assinantes que havia cá fora. Não podemos esquecer que essa fase foi o período no auge da crise, o que provocou alguma retracção por parte do mercado”, afirmou.

António Moniz Gonçalves, que no encontro falou sobre a “Recolha e Tratamento de Dados Estatísticos”, no INACOM, referiu que, de 2014 a 2018, o regulador registou “algumas quebras” na utilização da rede fixa, em que a maior aconteceu em 2017, que desceu para 161.000 utilizadores, uma descida significativa quando comparada com os 304.000 registados em 2016.

Em 2014, Angola contava com 287.416 utilizadores da rede fixa, em 2015 o número chegava aos 248.925 usuários, em 2016 a 304.493, em 2017 a 161.070, tendo no ano passado registado uma ligeira subida, para 171.858 utilizadores.

Em relação aos clientes dos serviços de Internet, o número é de quase seis milhões, segundo os “dados consolidados” do INACOM, referentes a 2018. Entre 2014 e 2018, o total registado aumentou de 3.724.009 utilizadores para 5.929.715.

As estatísticas apontam que Angola conta também com 1.928.237 subscritores dos serviços de televisão por assinatura.

Fonte: Lusa

Deixe o seu comentário