Angola: William Corrêa é o novo director-geral da TV Zimbo

O jornalista e gestor brasileiro, William Corrêa, é o novo director-geral da TV Zimbo. A cerimónia de apresentação aos trabalhadores teve lugar no final da tarde desta sexta-feira, 9, nas instalações da TV Zimbo em Talatona. Além de William Corrêa foram também apresentados os restantes membros da nova administração daquela que é a primeira televisão privada de Angola, o jornalista Guilherme Galiano e jurista Samora Albino, respectivamente. Kénia Camotin que exercia as funções de directora-geral adjunta foi exonerada do cargo, mantendo-se nas funções de apresentadora do programa Fair Play.

No seu discurso de apresentação, William Corrêa, criticou o modelo de gestão das anteriores administrações da TV Zimbo, tendo afirmado que ” nos últimos seis anos, a nossa televisão não apresentou modelos de gestão sustentáveis. Não evoluímos “. Falando em termos daquilo que será o novo posicionamento da televisão, William Corrêa, considera que ” o nosso objectivo não é fazer concorrência a televisão pública. Somos uma televisão privada e queremos ser líderes neste segmento, queremos assumir a liderança neste sector. Queremos recuperar um lugar que já tivemos no passado . Queremos estabelecer um modelo de comunicação mais eficiente”, disse o novo homem forte da Zimbo.

Este é um retorno de William Corrêa a um cargo que já exerceu no passado, já que no período 2011-2012 exerceu idênticas funções na administração TV Zimbo. Em nove anos de existência, esta é a sétima administração a gerir o canal privado de televisão, sendo que cinco das administrações foras lideradas por cidadãos estrangeiros, sendo quatro administrações lideradas por cidadãos brasileiros e uma por cidadãos portugueses. No período 2014-2017, a TV Zimbo teve como director-geral, o jornalista angolano Francisco Mendes, que exerce actualmente as funções de administrador executivo para Área de Conteúdos da TPA.

A TV Zimbo foi fundada a 14 de dezembro de 2008, tendo sido a primeira televisão privada de Angola.

Contactados pela Vivências Press News, alguns funcionários da TV Zimbo falaram das expectativas acerca da nova administração, mas preferindo manter o anonimato.

” Durante os últimos anos a Zimbo não evoluiu. A gestão de Celso Pelosi foi marcada por uma grande inércia e uma evidente falta de atitude e posicionamento. Com Ediberto Lima foi um verdadeiro desastre, ele teve a capacidade de destruir tudo quanto foi feito no passado, a nossa televisão era uma autêntica balbúrdia. A gestão de Francisco Mendes e Kénia Camotin falhou redondamente porque não teve uma visão de futuro, com estes mesmos gestores mais preocupados com a sua imagem, popularidade e com as audiências dos programas em que eram apresentadores. Foi uma gestão muito egocêntrica e que se esqueceu das gestão corrente e dos grandes problemas que vivíamos . Espero que William Corrêa traga outra dinâmica de gestão e devolva aos trabalhadores a dignidade que foram perdendo ao longo dos anos”, disse PJC, jornalista da Zimbo.

Já BMR, funcionário da TV Zimbo há mais de sete anos diz que :

“William Corrêa regressa a uma casa que bem conhece . Foi um erro, os accionistas terem terminado a sua gestão em 2012, ele na altura reestruturou a Zimbo, actualizou e adquiriu equipamentos modernos, adoptou procedimentos no jornalismo, na área comercial e na programação. Construiu um edifício digno do estatuto que a nossa televisão tinha no passado. Depois de 2012, a Zimbo foi perdendo qualidade, credibilidade e muitos bons quadros. Jornalistas experientes como David Diogo, Moura Jorge, Arão Gaspar e Dinho Soares foram literalmente hostilizados, desvalorizados e subaproveitados . Espero que este triste quadro se reverta”.

GTA, repórter com cerca de oito anos de casa, deixa um conselho ao novo director -geral da TV Zimbo:

“Espero que William Corrêa tenha feito o trabalho de casa, que tenha aprendido a lição e não cometa os mesmos erros do passado. Erros esses que resultaram na sua saída prematura da Zimbo. Que desta vez deixe de lado alguma soberba, vaidade e arrogância, valorizando mais os recursos humanos nacionais, os conteúdos nacionais e perceba que a TV Zimbo é uma televisão angolana, feita por angolanos e que comunica para Angola e os angolanos. Boa sorte neste seu retorno”.

Com a actual conjuntura política, económica e social, os accionistas da TV Zimbo viram reduzidas muitas fontes de financiamento e procuram formas eficiente de acesso à capitais, bem como de rentabilização da empresa. Uma fonte da Vivências Press News, avançou que neste momento decorrem negociações entre os accionistas desta televisão privada e certos grupos económicos visando captar novos investimentos e evitar uma falência técnica da instituição. O regresso de William Corrêa, dá maior sustentabilidade, a notícia de que um poderoso grupo religioso sediado no Brasil e com larga experiência em comunicação estaria interessado em investir na TV Zimbo.

Quem é William Corrêa?

É um cinquentão nascido em Montes Claros , em Minas Gerais, no Brasil. Tem mais de 30 anos de carreira, tendo iniciado aos 15 anos de idade como locutor de rádio em Minas Gerais. Aos 18 anos, estreou na televisão na bancada do programa MG TV da Globo Minas.

Passou pelas redacções da TV Alterosa (SBT), Rede Minas, Globo, Record e Bandeirantes . Teve a sua primeira experiência internacional como director-geral da TV Zimbo no período 2011-2012. De 2013 a 2018, foi director de Jornalismo e apresentador de telejornal da TV Cultura de São Paulo .

13 comments

Apenas uma informação relevante para a reportagem em questão. Não critiquei as administrações anteriores. Disse que eu e os outros gestores nunca fizemos uma pesquisa de audiência para saber qual público nos assistia e quem era o telespectador de Angola. Portanto, gerimos a partir do achismo. Mas cada gestor do passado deu a sua contribuição possível.

Caro William, fazer uma avaliação crítica da actual situação da Zimbo ( que é o que consta que também fez) está no seu pleno direito, uma vez que conhece a realidade da televisão nos últimos 7 anos . É perfeitamente natural que se sinta desiludido, porque os esforços feitos num passado recente não tiveram reflexos no presente, em 2012, a TV Zimbo passou do sétimo para o segundo lugar em termos de audiências e resultados. Hoje certamente não está no mesmo ranking. Aliás, os comentários de alguém dos funcionários das estação foram de encontro ao seu posicionamento: não houve avanços consideráveis nos últimos 6 anos e portanto houve uma gestão empírica com base no chamado “achismo” . Bom retorno e boas vivências. Estamos atentos e acompanhar.

Willian fará muita falta em nossas telas no horário nobre, mais com certeza deixou uma pessoa a sua altura, amo aquela boquinha tortinha daquela jornalista, brincadeira, ela é super competente, vou acompanhar seu sucesso, não conhecia esse seu lado administrador, e com certeza será um exemplo para nós brasileiros, se precisar de uma força ai conta comigo…

Caros: desejo ao William sucesso nesta sua nova gestão à frente da TV Zimbo. Respeito-o e o admiro tanto pelo profissionalismo, quanto pela acolhida e conselhos que me deu quando fui convidado para sucedê-lo. Cada qual temos características e estilos próprios. Como a infraestrutura técnica e predial estavam prontas, coube a mim a tarefa de reestruturar o modelo de gestão e fazer ajustes na área de recursos humanos, com assessoria de empresa internacional, a bem da verdade contratada na gestão do William. Quanto à opinião do jornalista que disse ter sido a nossa uma gestão que pecou pela inércia e falta de posicionamento, gostaria de – sem polemizar – ponderar que a considero superficial. Até porque – e por razões que não cabe aqui enumerar – não tivemos condições para implementar as ações planeadas.
Fizemos o que foi possível dentro das particularidades internas e também externas ao ambiente da organização, algumas de percepção cristalina; outras mais complexas.
Recebi uma incumbência e procurei desempenhá-lá com afinco e profissionalismo. Sobretudo, com respeito às diferenças e aos profissionais – a maioria dedicados e interessados no crescimento da querida TV Zimbo.
Para além de iniciar a reestruturação das Unidades (a começar pela de Beguela, inaugurada no primeiro mês, em maio de 2013 ), procuramos valorizar os produtores de conteúdo angolano (por meio de parcerias e deixamos encaminhada – com patrocínio negociado – a que teria sido a primeira grande série angolana – Interligados).
Como bem disse o William, cada Administração tem suas características e, acrescento eu, desenvolve-a em cenários e ambientes díspares. Ao sair, um colega da equipe gerencial (profissional de grande conhecimento interno e externo do ambiente Zimbo ) disse que não tivemos tempo de ver o resultado do trabalho realizado nas raízes e de colher os frutos das sementes plantadas. Espero que tenham germinado e que agora, novamente sob a liderança dos colegas William, Galiano e Samora, se somem a todas as outras lançadas desde a criação da TV Zimbo.
Acredito que é o desejo de todos os colaboradores, diretores, accionistas e dos irmãos angolanos. Sucesso e bom trabalho a todos!

Nós Brasileiros ficamos tristes com a partida do Excelente Jornalista e diretor Willian Correa, o melhor ancora do nosso jornalismo, ganharam os Angolanos, a nós resta ficar torcendo para o sucesso dele,que Deus o acompanhe sempre e nessa nova jornada.

Willian, se você foi convidado a retornar em troca de uma excelente remuneração, tem todo o meu apoio. Mas ficou uma lacuna no jornal da Cultura… Tomara que a nova apresentadora atinja um grau de maturidade que nos entusiasme, como você o fez… Sucesso…

Bem, não tenho conhecimento da Zimbi TV a não ser o que pude ler. Quanto ao Willian, falando como esoectador, acredito que falando por diversos outros, ficamos meio orfaos aqui no Brasil. Já era costumeiro encerrar o Jornal NacuinNa, e aqueles que gostam de um bom noticiário, com diferencial correr para a TV Cultura afim de obter o comparativo daquilo que se recebeu goela abaixo, pois é o estilo do primeiro, já que diariamente com o Wllian teríamos um noticiário de conteúdo idêntico porém com um grande diferebcisl, o contraponto ao vivo e a participação on line.
Não posso tecer comecomentariis sobre estrutura e finanças, pois diferente de Angola no brasil há uma gama de emissoras bem diversa, para todos os gostos, bolsos, origens, e tendências de pensamento, coisa que creio Angola ainda esteja bem distante de atingir, mas isso e outro papo.
Soberba!? Creio que não, e sim muita harmonia, vendo aqui deste lado da telinha.
Fui pego meio no contra pr em saber que meu âncora preferido havia nos deixado, e demorei descobrir que o “além mar” era mesmo verdadeiro.
Espero mesmo que a Zimbo possa e queira chegar ao nível da cultura, construído por muita gente mas tendo a cara do willian, mas tem que querer, ou poder.
Willian, muito sucesso e paciência para vencer tantas barreiras que, daqui, observo são maiores do que os problemas debatidos diariamente em sua bancada aqui. Vejo que podem ser políticos, mas fortemente de egos carentes de massagem. Que você consiga fazer com sua gestão inovadora e arrojada uma TV tão informática e completa como deixou a cultura para nós.
Boa sorte e sucesso.

Deixe o seu comentário