Antigo Liceu Nacional Salvador Correia reabre como Magistério Primário Mutu -ya -Kevela

kalola Store

Segundo dados da empreiteira, a estrutura antiga contava no seu todo com 56 compartimentos, sendo que no modelo actual passará a ter 49 salas de aulas, incluindo laboratórios para aulas práticas, uma sala de professores, um secretariado, igual número para contabilidade e reprografia.

Conta ainda com uma enfermaria para primeiros socorros, uma cantina, uma sala para a associação de alunos e uma de professores, duas salas de coordenação de pedagogia, vestiários para discentes, um WC para alunos com dificuldades de mobilidade, uma área de atendimento ao estudante e 4 campos desportivos.

O Mutu-ya-Kevela vai contar no seu corpo central com dois pisos e uma cave, para a área técnica, sendo que o primeiro será para a área administrativa e de laboratórios, bem como algumas salas de aulas, e o segundo igualmente para salas de aulas e outros serviços adicionais.

O antigo Liceu Nacional Salvador Correia, rebaptizado desde 1975 com o nome de Mutu -ya -Kevela, contava com mais de 40 salas de aulas. Até ao seu encerramento definitivo em 2008, em função do avançado estado de degradação em que se encontrava, o maior liceu de Luanda acolhia cerca de 6 mil alunos do quinto ao oitavo ano de escolaridade.

Pelas salas de aulas do Liceu Nacional Salvador Correia passaram alunos como Agostinho Neto, primeiro Presidente de Angola, e José Eduardo dos Santos, Presidente de Angola no período 1979-2017, entre milhares de angolanos e portugueses que ali fizeram os seus estudos ao longo de várias décadas.

As origens do Liceu Nacional Salvador Correia remontam a 25 de abril de 1890, quando cerca de três dezenas de cidadãos se reuniram em casa de Caetano Vieira Dias e decidiram solicitar ao governo português a criação de um liceu nacional em Luanda.

A ideia era criar um estabelecimento de ensino na capital angolana que ministrasse os programas em vigor nas escolas em Portugal, o que permitiria aos alunos transitar deste liceu para as escolas portuguesas. A criação desse liceu só veio, no entanto, a ser decidida a 19 de Fevereiro de 1919, quando o Conselho de Instrução Pública aprovou por maioria uma proposta neste sentido apresentada por António Joaquim Tavares Ferro. O Liceu Nacional Salvador Correia foi fundado por Monsenhor Alves da Cunha.

Inicialmente denominado Liceu de Luanda, a escola começou por funcionar num edifício na baixa da capital angolana, assumindo em 1924 a designação de Liceu Nacional Salvador Correia de Sá e Benevides, numa homenagem ao homem que reconquistou Luanda para a coroa portuguesa em 1648 depois da cidade ter sido ocupada pelos holandeses.

O actual edifício, situado no cimo de uma encosta que desce para o mar, começou a ser construído em novembro de 1938, tendo a inauguração ocorrido a 5 de julho de 1942.

Em 1975, ano da independência de Angola, foi rebaptizado com o nome actual de Liceu Mutu-ya-Kevela, em homenagem ao Soba do Bailundo que liderou uma revolta contra as autoridades portuguesas em 1902 no planalto central de Angola.

Foi classificado como Monumento Nacional por despacho com o número 47, de 08.07.1992.

“VIVA A MALTA DO LICEU”

Em 2009, para assinalar os 90 anos da criação do Liceu Nacional Salvador Correia de Luanda, a associação dos Antigos Alunos do Liceu Nacional Salvador Correia -Portugal (AAALSC-P), em conjunto com as editoras Pangeia e Chá de Caxinde, editou o livro Viva a Malta do Liceu! com o objectivo de evocar a sua criação, as actividades do grande número de estudantes, os momentos mais marcantes da sua existência e também o particular espírito que inculcou e que a todos marcou.

Organizado por um colectivo que contou com a coordenação de Miguel Anacoreta Correia, a edição do livro contou com o apoio do Banco de Fomento de Angola (BFA), do Instituto Português de Apoio ao Desenvolvimento (IPAD), da Fundação Portugal -África (FPA) e da CUCA-BGI.

O livro, que percorre todos os 56 anos de existência do liceu (1919-1975), pretende ser o primeiro de uma série destinada a preservar a memória daquele espaço e dos que por lá passaram.

“O objectivo é fazer um pouco de história do liceu e deixar depositada a memória dos que passaram por lá “, disse na altura, Miguel Anacoreta Correia.

Álvaro Galiano, nascido em 1909, filho de Carlota de Fontes Pereira e de Manuel Velasco Galiano, foi o primeiro aluno do Liceu Nacional Salvador Correia em 1919.

1 comments

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.