Associação dos Diplomatas Angolanos denuncia existência de “graves injustiças, nepotismo e corrupção” no MIREX

A informação foi revelada pelo presidente da Associação dos Diplomatas Angolanos (ADA), embaixador António Luís de Lima Viegas, durante uma entrevista à Rádio Nacional de Angola (RNA), por ocasião do Dia do Diplomata Angolano assinalado nesta segunda-feira, 12 de Novembro.

Lima Viegas que por altura das declarações exercia também o cargo de inspector-geral do Ministério das Relações Exteriores (MIREX), denunciou a existência de “graves injustiças, nepotismo e corrupção” no seio do MIREX.

“A Associação dos Diplomatas Angolanos não está de acordo pela forma como estão a ser escolhidos os diplomatas para o exterior do país. (…) Quero dizer que no MIREX existe um grande descontentamento em relação ao concurso público realizado para a selecção de diplomatas”, afirmou Lima Viegas.

O dirigente da ADA alertou para as várias violações às leis vigentes na República de Angola e considerou “uma afronta aos diplomatas” a aplicação por parte do MIREX de “critérios que não estão definidos por lei”.

“Eles [MIREX] estão a violar a lei e a desrespeitar a carreira diplomática. Para além de violarem a lei, estão a agarrar-se ao poder discricionário do senhor ministro. O poder discricionário do ministro não lhe permite violar a lei”,

Na entrevista, Lima Viegas acusou a actual direcção do MIREX de não estar a “respeitar orientações expressas” do Presidente da República, João Lourenço.

“O que nós [ADA] estamos a verificar é, que esta direcção [ do MIREX] não está a respeitar as orientações do Presidente da República, nas diversas matérias que estão inumeradas na mensagem de felicitações, que a ADA enviou no dia 11 de Novembro, a todos os diplomatas”, afirmou.

Lima Viegas confirmou ainda que as preocupações da ADA serão entregues “a quem de direito ” e promete também impugnar o último concurso público realizado pelo MIREX .

“Nós não estamos de acordo com o que está a ser feito. Estão a introduzir pessoas na carreira diplomática sem concurso público. (…) As verdades têm de ser ditas. Sem verdade e sem justiça nós não podemos fazer nada na diplomacia. Se não tivermos cuidado, daqui há cinco anos não teremos bons diplomatas”, alertou o diplomata.

MIREX exonera inspector-geral.

O ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto exonerou nesta terça-feira, 13 de Novembro, o inspector-geral António Luís de Lima Viegas, incumbido no ano passado de liderar “Duas inspecções profundas e rigorosas” na instituição.

O comunicado do MIREX não adianta os motivos da exoneração de Lima Viegas, mas o diplomata fez circular uma mensagem nas redes sociais em que revela pormenores da sua exoneração.

“Quero informar a todos, que foi dada por finda a minha comissão de serviço como inspector-geral do Ministério das Relações Exteriores, pelos pronunciamentos que fiz ontem [12 de Novembro], no Dia do Diplomata Angolano, face às grandes injustiças que estamos a assistir no seio do MIREX”, escreveu o diplomata.

O antigo inspector-geral do MIREX revela estar a “sair de cara levantada e com o dever cumprido” e afirma não “pactuar com o nepotismo e a corrupção” que “infelizmente grassa ” no seio da instituição.

Na mensagem, Lima Viegas, informa que a Associação dos Diplomatas Angolanos (ADA) fará sair nos próximos dias “dois comunicados que retratam toda a situação que se vive no MIREX”.

De recordar, que no seu discurso de tomada de posse, em 26 de Setembro de 2017, o Presidente da República, João Lourenço, prometeu lutar contra a corrupção que “grassa nas instituições do Estado”, sublinhando que o interesse nacional tem de estar acima de interesses particulares ou de grupo: “É nossa responsabilidade construir uma Angola próspera”.

Na ocasião, João Lourenço descreveu o “impacto negativo directo no Estado” da corrupção, defendendo que esta ameaça “os alicerces do país”. Por isso mesmo, afirmou, que esta seria “uma das mais importantes frentes de luta dos próximos anos”.

1 comments

Deixe o seu comentário