Aumento de casos em Angola deixa Luanda e Kwanza Norte sem cultos religiosos

kalola Store

Com o aumento de casos de coronavírus em Angola, as províncias de Luanda e Kwanza Norte estão impedidas de reatarem os cultos religiosos, pelo facto destas duas zonas serem o epicentro da pandemia, avançou Sílvia Lucututa na habitual conferência de imprensa sobre a actualização de dados sobre a covid-19.

Segundo o decreto presidencial n.º 142/20 de 25 de Maio de 2020, o mesmo determina que as confissões religiosas têm o retorno das suas actividades a partir desta quarta-feira, 24, com limitação de até 50% da capacidade dos locais de culto, não superior a 150 pessoas. As instituições religiosas poderão celebrar missas quatro dias por semana, devendo os restantes dias ser reservados à higienização dos locais de culto.

“Temos registado um aumento de casos consideráveis nas últimas semanas”, justificou Sílvia Lutucuta, tendo apontado que deverão ser higienizadas as superfícies, as mãos à entrada dos locais de culto; o uso obrigatório de máscara facial; o distanciamento de no mínimo dois metros entre fiéis; ventilação constante dos espaços de culto e higienização obrigatória após cada celebração. O Estado angolano determina ainda a não utilização ou distribuição de folhetos ou documentos, durante os cultos, e a colocação dos recipientes para oferta em locais de fácil acesso, entre outras medidas de prevenção e segurança.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.