Autarca português optimista sobre êxito do processo de implementação das autarquias em Angola

Arnaldo Costeira, vogal na freguesia de Olivais, em Lisboa (Portugal), declarou hoje, no Huambo, que os avanços tecnológicos que Angola tem registado são promissores para a implementação, com êxito, do processo autárquico, no quadro dos desafios da reforma do Estado e dinamização da economia nacional.

Na sua apresentação Comunicação política, o marketing político e o marketing eleitoral no século XXI, durante a conferência sobre Comunicação Política e Poder Local, afirmou que Angola tem, por via do recurso das tecnologias de informação, uma soberana oportunidade para implementar com a eficácia desejada as eleições autárquicas.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Argumentou que Angola está, em relação a maioria dos países que optaram pela autarcização de algumas das suas divisões administravas, em vantagem por desenvolver este processo num período em que o sector tecnológico oferece, em função do seu estado de desenvolvimento, meios para garantir uma comunicação política eficiente.

Para além disso, referiu que uma média de 20% do total da população angolana utiliza, de forma regular, os serviços de Internet, o que faz toda diferença, por permitir uma comunicação política permanente, constituindo-se num pressuposto para garantir a eficácia na  implementação das autarquias, pois que, nos dias de hoje, não se pode falar em política sem o recurso aos meios digitais.

Arnaldo Costeira acrescentou que esta situação contribui fundamentalmente para tornar a implementação do processo muito mais célere e eficaz, visto que um sistema tecnológico favorável e transversal permite que os meios de comunicação social estejam mais habilitados e uma melhor mobilização da sociedade para este desafio.

Por sua vez, o professor do Instituto Superior da Educação e Ciências (ISEC) de Lisboa, Paulo Louro, realçou a necessidade dos partidos políticos assumirem as suas responsabilidade neste processo, bem como o compromisso social que devem ter em prol da promoção do desenvolvimento do país nos vários domínios.

Ao dissertar o tema “O perfil do autarca – missão e desafios”, disse ser imperioso que as organizações político-partidárias procurem, o mais cedo possível, incutir aos candidatos à presidência das câmaras municipais, o sentido da responsabilidade moral, do comprometimento com o bem comum, tendo em conta a promoção e garantia do desenvolvimento das comunidades.

O evento, decorrido na cidade do Huambo, capital do planalto central de Angola, numa iniciativa da Escola Nacional de Administração e Políticas Públicas (ENAPP), analisou ainda temas como a “Relevância da descentralização de competências em Angola”, “comunicação política, o marketing político e o marketing eleitoral no século XXI” e “Fontes de financiamento das autarquias em Angola”.

Entre os presentes, destacam-se os governadores das províncias do Huambo, Joana Lina, e do Bié, Pereira Alfredo, o presidente do Conselho de Administração da ENAPP, Adão Avelino Manuel, dirigentes partidários com assentos no Parlamento, magistrados Judiciais e do Ministério público, autoridades tradicionais entidades religiosas, académicos e outros convidados.

Instalada na ex-Escola Nacional de Administração (ENAD), na província de Luanda, a ENAPP resulta da fusão do Instituto de Formação da Administração Local, do Instituto de Formação de Finanças Públicas e da Escola nacional de Administração.

Fonte Angop

Deixe o seu comentário