Aviação civil: Angola e Singapura assinam acordo de cooperação técnica

kalola Store

O Governo da República de Angola e o Governo da República de Singapura assinaram nesta quinta-feira, 19 de Abril, um acordo de cooperação no domínio da aviação civil, que visa a troca bilateral dos serviços aéreos de carga e de passageiros.

O acordo foi rubricado na cidade central de Singapura pelo ministro dos Transportes de Angola, Augusto da Silva Tomás, e pelo seu homólogo NG Chee Meng, e estabelece arranjos de cooperação comercial, a fim de promover o crescimento do mercado de transportes aéreos.

Com a assinatura do acordo, a companhia de bandeira angolana, TAAG e a sua congénere, a Singapore Airlines, têm o direito de operar com qualquer tipo de aeronaves nos pontos acordados nas rotas previstas, até quatro frequências semanais, com direitos de tráfego de terceira e quarta liberdades para serviços de passageiros, que serão aumentadas até sete frequências semanais em 2023.

O acordo prevê igualmente serviços de carga, desde que ambas autoridades aeronáuticas concordem em conceder autorizações pontuais para voos charters de carga.

O ministro Augusto Tomás afirmou que o acordo marca um novo ciclo nas relações de cooperação entre Angola e Singapura, por criar um espaço de intercâmbio comercial, a partir da TAAG e da Singapore Airlines.

Augusto Tomás exaltou o potencial técnico e operacional da Singapore Airlines, em função de ser das melhores companhias aéreas do mundo. Na mesma medida, considerou ser uma mais-valia, ter a companhia aérea asiática como parceiro estratégico na cooperação ao nível dos serviços aéreos com Angola.

O ministro disse estar assegurado o intercâmbio de transporte e mercadoria entre a região do sudeste asiático e Angola, que oferece uma localização geoestratégica favorável no centro de África.

“Singapura é um país com um nível de desenvolvimento considerável e que podemos aproveitar para formar quadros angolanos, mas também proporcionar-nos a melhor interligação dos vários modais dos transportes como o aéreo, marítimo e portuário e o rodoviário”, referiu.

Para o ministro angolano, abre-se uma boa oportunidade para ajudar Angola a superar o défice que tem , a nível dos quadros humanos qualificados, nos quatro ramos do sector dos Transportes.

Fonte: Angop

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.