Baía de Luanda às escuras depois de roubo de posto de transformação e de gerador

A informação foi avançada ao Novo Jornal Online por Maria Nelumba, presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda.

“Hoje nos deparámos com uma situação grave aqui na zona da marginal de Luanda. Foi saqueado um PT e cabos eléctricos e os bandidos vandalizaram também um gerador para levar as peças”, revelou.

“Neste momento a Marginal de Luanda está às escuras a partir do Porto de Luanda até à entrada da Ilha do Cabo”, acrescentou Maria Nelumba.

Segundo a presidente da Comissão Administrativa da Cidade de Luanda “este é um fenómeno que se verifica um pouco por toda a capital e que nos últimos dias tem ganhado intensidade”.

“Não faz sentido o Governo trabalhar para o bem da população e os prevaricadores trabalharem em sentido contrário. A responsabilidade é de todos nós. O Governo tem a responsabilidade de colocar os equipamentos, mas o cidadão tem o dever de cuidar e de denunciar os criminosos, porque isto vai fazer falta às pessoas e ao Estado”, expôs.

De referir que a Polícia Nacional em Luanda recuperou, em meados de Julho último, cerca de 71 contentores contendo cabos eléctricos e material ferroso, avaliados em mais de 50 milhões de kwanzas, durante uma operação denominadora “Corvo”.

Na ocasião, o inspector-chefe Lázaro da Conceição, responsável pelas operações do Comando Provincial de Luanda, destacou que o flagrante delito ocorreu no mercado dos Correios, no Golf II, Município do Kilamba -Kiaxi, onde os acusados foram surpreendidos a comercializar as respectivas mercadorias.

De acordo com o chefe das operações, as detenções ocorreram por via de mandados de buscas, emitidas pela Procuradoria a nível da Província de Luanda.

Vale ainda salientar que o Serviço de Investigação Criminal (SIC) deteve, no passado domingo, 19, quatro cidadãos estrangeiros, todos sem documentos, que se dedicavam ao roubo de cabos eléctricos.

Nesta mesma operação foram apreendidos 300 metros de cabos eléctricos de alta tensão, 150 metros de cabo de média tensão, uma máquina trituradora de metais e três cabines da Angola Telecom desmanchadas.

É importante salientar que só no primeiro semestre de 2017 a Empresa de Distribuição de Electricidade (ENDE) teve uma perda de cerca de 1,500 milhões de kwanzas de prejuízos causados pelo roubo de material eléctrico da rede de iluminação pública nos municípios de Talatona, Belas, Cacuaco e Viana.

Fonte: Novo Jornal Online.

Deixe o seu comentário