Bengo acolhe conselho consultivo do Ministério da Cultura

A implementação do Plano de Desenvolvimento Nacional 2018-2022 nos aspectos atinentes a valorização e dinamização do património histórico-cultural, a diplomacia cultural e o fomento da arte e das indústrias culturais e recreativas, foram entre outros assuntos analisados Segunda-feira, 27 de Maio, em Caxito, província do Bengo, no VII Conselho consultivo alargado do Ministério da Cultura.

O encontro que decorre sob o lema “Paz, Uma Força Identitária dos Angolanos – Cultivemos a Paz, Promovendo as Artes e Valorizando o Poder Tradicional” e se estende até ao dia 28, aborda igualmente as programações culturais das províncias, municípios e comunas bem como a informação sobre os principais programas do sector, nomeadamente a proposta de alteração do seu estatuto orgânico, o Encontro Nacional das Autoridades Tradicionais, o Festikongo e a Bienal da Paz.

A governadora provincial do Bengo, Mara Quiosa convidada a intervir durante a cerimónia de abertura, presidida pela ministra da cultura, Carolina Cerqueira, enfatizou a necessidade de se prestar especial atenção aos espaços e lugares de memória colectiva e a criação de oportunidades de trabalho e rendimento para os artistas.
 
A necessidade de se aumentar as infra-estruturas culturais e a formação de quadros para garantir o seu normal funcionamento, também foi referida pela governante local.
 
Mara Quiosa enfatizou a importância de se valorizar o vastíssimo património cultural e histórico detido pela província, transformando-o em fonte de arrecadação de receitas e geração de riqueza, por via da promoção do turismo cultural, no âmbito da diversificação económica.

Deixe o seu comentário