Cadáveres em avançado estado de decomposição na Morgue Central de Luanda

kalola Store

A fonte, que pediu o anonimato, informou ao Jornal de Angola que na Morgue Central de Luanda existem 15 câmaras frigoríficas, correspondendo a 174 gavetas, mas oito das quais se encontram avariadas e apenas sete estão a funcionar a 75%.

Além da avaria das câmaras, disse que a morgue enfrenta sérios problemas de superlotação de cadáveres e, por isso, três a quatro cadáveres são depositados numa mesma gaveta. “É lamentável o que vemos diariamente. Numa gaveta deve, no máximo, ser colocado dois corpos e não o contrário. Com isso, os defuntos entram em estado de decomposição e é necessário que se tome medidas para evitar situações piores”.

A fonte, considera ser uma situação grave e alertou ter sido detectada na câmara cinco uma fuga num dos motores e, a qualquer momento, pode parar por falta de manutenção.

“Tem havido muitas reclamações por parte dos familiares quando se deparam com o corpo do seu ente querido em avançado estado de decomposição”, disse, para quem o assunto já se arrasta há dois meses e é do conhecimento do Governo Provincial de Luanda e do Ministério da Saúde.

A funcionária ligada ao departamento de Saúde não entende o porquê dessa situação, uma vez que a Morgue Central de Luanda é uma unidade orçamentada e factura algum dinheiro, para além de receber também dinheiro proveniente do Governo Provincial de Luanda.

Explicou que os corpos depositados na morgue pagam o valor de 1.000 a 2.000 kwanzas/dia e interrogam-se sobre o destino que é dado a estes valores. “Se não houver uma solução urgente, há o risco de termos um problema grave de saúde pública, o que pode resultar numa epidemia”.

Fonte: Jornal de Angola

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.