Casos de covid-19 em Bissau preocupam Médicos Sem Fronteiras

kalola Store

Esta quinta-feira, a Organização Médicos Sem Fronteiras (MSF) enviou um comunicado aos órgãos de comunicação social fazendo apelo a “uma melhor coordenação e uma ampliação de esforços de todos os envolvidos na resposta à pandemia” com vista a fazer face ao aumento “dramático do número de casos da Covid-19 em Bissau”.

De acordo com o documento, a Guiné-Bissau é um dos países mais atingidos, em termos de casos per capita no continente africano. O número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus aumentou 15 vezes nas duas últimas semanas, passando de 54 casos, a 30 de Abril, para mais de 836 casos positivos.

A chefe de missão da MSF em Bissau, Mónica Negrete, explicou que o aumento dramático revela que o vírus continua a propagar-se rapidamente nas comunidades, apesar das medidas adoptadas pelas autoridades.

Outro elemento preocupante é o número de profissionais de saúde do Hospital Nacional Simão Mendes que contraíram a Covid-19 e que estão impossibilitados de trabalhar.

A organização humanitária internacional refere que tem estado a apoiar os profissionais de saúde e pacientes, tem auxiliado o centro de atendimento telefónico Covid-19 e disponibilizou duas equipas para fazer o rastreio de contactos e monitorização de casos suspeitos.

Contudo, a MSF reconhece a necessidade de reforçar as medidas na capital e noutras regiões do país. A Organização apela a uma resposta urgente e uma melhor coordenação dos esforços de todos os envolvidos, autoridades, profissionais de saúde e comunidades, na resposta à pandemia.

A Guiné-Bissau prolongou esta semana o estado de emergência, até 26 de Maio e decretou o recolher obrigatório, bem como o uso obrigatório de máscaras. O país regista actualmente 836 casos e três óbitos associados à Covid-19.

Fonte: RFI

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.