Cimangola inaugura nova cimenteira por 400 milhões de dólares 

O corte da fita do empreendimento coube ao ministro da Defesa e candidato a Presidente da República, João Lourenço, numa cerimónia marcada por pompa e circunstância.

Durante o processo de construção da fábrica que durou 21 meses, estiveram envolvidos na fase de maior intensidade 700 trabalhadores, sendo que para a sua operação necessita cerca de 250 novos postos de trabalho, segundo o presidente do Conselho da Administração da Cimangola, Sindika Dokolo.

Com o investimento nesta nova linha, o país passa a ser auto-suficiente em termos de produção de clínquer e permitirá à Nova Cimangola produzir anualmente 2,4 milhões de toneladas de cimento.

A produção de clínquer, principal matéria-prima para produção de cimento, no país vai atingir cerca de sete milhões de toneladas/ano, com a entrada em funcionamento ontem, no município de Cacuaco, em Luanda, de uma nova fábrica de produção, declarou a ministra da Indústria, Bernarda Martins.

A nova fábrica com uma área de 687 hectares, incluindo a zona de extracção das matérias-primas, equipada com tecnologia de última geração, garante uma eficiência energética e o controlo das emissões de gases para o ambiente, assegurando assim o cumprimento dos padrões internacionalmente estabelecidos de protecção do ambiente.

No final da visita, o ministro da Defesa, João Lourenço, disse que sem cimento não há reconstrução. “A reconstrução nacional pressupõe haver cimento em abundância. Passou o tempo em que o país vivia da importação de cimento”, sublinhou.

Deixe o seu comentário