Cunene projecta estação meteorológica autónoma

O Governo do Cunene perspectiva nos próximos tempos construir uma Estação Meteorológica Autónoma, com tecnologia moderna, para monitorizar em tempo real a situação climática da província.

A informação consta de um documento do Governo local, a que a Angop teve acesso, segundo o qual a estação produzirá dados e informações fiáveis sobre os fenómenos meteorológicos, a curto, médio e longo prazo, que permitirão implementar atempadamente medidas e estratégias de prevenção dos males provocados por calamidades naturais, como as cheias e as secas.

publicidade

“A imprevisibilidade dos fenómenos climáticos na província (cheias e secas) dificultam a implementação de medidas e estratégias de prevenção das consequências provocadas pelas calamidades naturais que ocorrem na região”, refere o prospecto referente ao período de Janeiro a Abril de 2019. De acordo com o documento, sem previsão atempada as medidas são sempre no sentido reactivo para remediar, e não no sentido de prevenir ou contornar, daí que a instalação da referida estação seria complementada com acções de formação de capital humano.

Com um sistema de previsão eficiente, sublinha a brochura, as acções de mitigação podem ser definidas com antecedências de pelo menos um ano, o que permitiria melhor enquadramento das acções no Orçamento Geral do Estado (OGE). Em virtude da construção da referida Estação Meteorológica Autónoma, com tecnologia moderna, a província do Cunene deixará de depender dos dados nacionais, lançados a partir de Luanda, passando a ler com antecedência os sinais dos fenómenos naturais.

Contudo, segundo apurou a Angop de fonte oficial, a província do Cunene dispõe de quatro estações telemétricas, neste momento, inoperantes. Existe uma quinta instalada no Aeroporto Internacional 11 de Novembro, que auxilia no tráfego aéreo local.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

De Outubro de 2018 à presente data, já foram afectadas pela seca no Cunene 857.443 pessoas, de um total de 171.488 famílias e um milhão e 100 mil bovinos. Actualmente, contabilizam-se 26.267 animais mortos, de espécie bovina (maior representatividade), suína e caprina.

Localizada no Sul de Angola, a província do Cunene tem uma extensão territorial de 75 mil 955,61 metros quadrados, comporta seis municípios, 20 comunas, 51 bairros urbanos e 765 aldeias rurais e 1.157.491 habitantes.

Fonte: Angop

Deixe o seu comentário