Desempregados manifestaram-se em Luanda

Cerca de centena e meia de jovens angolanos desempregados manifestaram-se este sábado, de forma pacífica e ordeira em Luanda, para exigir emprego num país em que, segundo os dados oficiais, 45% deles estão sem trabalho.

Em declarações à agência Lusa, um dos organizadores da Marcha Contra o Elevado Índice de Desemprego, José da Silva Alfredo, licenciado em Filosofia e sem trabalho, realçou que o objetivo é pressionar o Governo de João Lourenço a olhar com maior atenção para as questões relacionadas com a juventude.

«O objetivo é pressionar o nosso executivo a criar políticas de emprego ou ainda a criar mais parcerias com empresas privadas para que se dinamize o mercado de emprego, numa altura em que é escasso», disse, lembrando que João Lourenço, na campanha para as eleições presidenciais de agosto de 2017, prometeu criar 500 mil empregos.

No final da marcha, que terminou junto ao Largo das Heroínas Nacionais e que foi acompanhada por efetivos da polícia angolana, José da Silva Alfredo leu um manifesto em que lembrou que a contestação à política de João Lourenço começou a 21 de julho último, quando o mesmo grupo de jovens cidadãos desempregados «exigiu mais políticas de emprego».

Deixe o seu comentário