Dia 5: A cidade de Graz

No quinto dia de viagem vou conhecer a cidade de Graz, uma cidade que fica a uns 200 quilómetros de Viena. Ainda no centro histórico de Viena, vou percebendo que esta é uma cidade muito preocupada com a mobilidade dos seus habitantes e visitantes.

 

 

Em 2013, a cidade organizou o VeloCity 2013, o congresso mundial sobre mobilidade em bicicleta. O evento reuniu ao todo 1.200 participantes de todos os continentes,sendo 330 oradores e promovendo 400 mesas de discussões, tudo isso no edifício da prefeitura da cidade. Viena venceu também o prémio da Semana Europeia se Mobilidade 2017. O prémio pretende destacar as autoridades locais que demonstram ter empreendido esforços significativos na promoção da mobilidade sustentável .

Em Viena, os semáforos contemplam duas modalidades : pedestres e ciclistas.Viena foi várias vezes eleita a melhor cidade do mundo para se viver no quesito :qualidade de vida.Um dos segredos é a sua estrutura cicloviaria com cerca de 1.300 quilómetros de ciclovias e ciclofaiixas.Há até um painel numa zona da cidade que contabiliza a passagem dos ciclistas .Em Viena,não é necessário ter uma bicicleta própria para explorar a cidade sobre duas rodas, pois há inúmeras agências que alugam bicicletas.Há também um inovador sistema de aluguer no centro histórico da cidade chamado Citybikes,permitindo que haja mais de 1000 bicicletas distribuídas em 54 estações dentro de Viena.A cidade que é considerada o berço da música clássica, a cidade das artes, é também uma das capitais mundiais das bicicletas .

Na cidade de Graz, conheci August Glanzer.Ele é um austríaco, promotor turístico e dono de uma agência de viagen, que em 2005 foi responsável (juntamente com a esposa), de ter adoptado uma angolana, a Marcelina Glanzer . Uma verdadeira história de amor e solidariedade de um casal austríaco para com uma angolana nascida no bairro da Koreia em 1987, que em 2004 veio viver para Áustria com a irmã mais velha, a Joly Rosa (que já vive na Áustria desde 1994) e o seu esposo, Kota Tekas (que já vive na Áustria desde 1989). Ela foi adoptada como uma filha por esta família Áustria que já tendo dois rapazes,decidiu acolher a jovem rapariga naquela altura, tratando da sua educação, integração e profissionalização . Hoje a Marcelina Glanzer trabalha como enfermeira,tendo trabalhado antes na embaixada de Angola em Viena.É também uma espécie de guia ou cicerone para quem conhecer Áustria e manter encontro com as comunidades angolanas aqui residentes. A sua irmã, a Joly Rosa há sete anos que tem um cabeleireiro no centro de Graz e há um ano que abriu o restaurante de comida típica angolana, o Nsi Kivuila (expressão da língua nacional kikongo que em português significa : a terra é nossa ). Hoje a Marcelina Glanzer e o seu cunhado, o Kota Tekas, falaram para o espaço radiofónico : O Mundo em Duas Sintonias, que é uma parceria Vivências Press News e a rádio MFM.

Em Graz, visitei com a família Glanzer, o Palácio Eggenberg.O local tem o nome do homem que o construiu, o Príncipe Hans Ulrich von Eggenberg (1568-1634), que começou a sua utilização como tal em 1625, na altura o Príncipe Hans von Eggenberg era uma figura influente junto da Corte Real em Viena, chegando a ser um confidente do Imperador Ferdinand II. O Palácio Eggenberg é uma expressão da sua posição de poder e influência, ao mesmo tempo uma símbolo a representação de valores humanistas. A sua arquitectura seguiu um detalhado e minucioso esquema de valorização da arte.A combinação entre os parques exteriores, jardins esplêndidos, fascinante arquitectura e uma estrutura interior única fazem deste palácio Património da UNESCO.

Visitei também a Casa-Museu de Arnold Schwarzenegger em Graz. Ele nasceu em 1947 e viveu lá até 1966, altura em que começou a participar e a vencer torneios de culturismo, tendo se fixado nos EUA com uma carreira desportista e atingindo o top mundial em termos de culturismo. Depois foi a passagem por Hollywood e até chegar ao cargo de Governador da Califórnia . O museu retrata a sua infância, juventude e até idade adulta, tendo réplicas de artigos ou peças usadas em vários filmes. Uma réplica da espada usada no filme Conan, a motorizada e o casaco utilizado no Exterminador, até as medalhas e troféus conquistados ao longo da carreira como culturista. Há também várias imagens em cera de Schwarzenegger retratado personagens interpretadas no cinema, bem como a de Governador da Califórnia, onde até mereceu uma foto com o chapéu de Angola.Ele tem mantido uma atenção e interesse muito especial e também afectivo por este espaço. A maior parte do material e objectos pessoais foram cedidos pelo próprio Arnold Schwarzenegger .Em 1997, o estádio da cidade de Graz passou a ter o nome de : Estádio Arnold Schwarzenegger. Mas uma divergência entre o próprio e os partidos que fazem parte da assembleia municipal da cidade por causa da sentença de morte de Stanley Williams em dezembro de 2005, em que os partidos representamos na assembleia de Graz, solicitaram ao então Governador da Califórnia que aplicasse clemência na sentença declarada sobre o réu. Stanley Williams foi mesmo executado por injecção letal, tendo os partidos locais proposto a assembleia municipal de Graz, uma votação para retirar o nome de Arnold Schwarzenegger ao estádio da cidade e também retirar-lhe o título de cidadão honorário da cidade. Tal atitude terá desagradado Schwarzenegger, que enviou mesmo uma carta ao presidente da câmara de Graz a solicitar que o seu nome fosse retirado do estádio, bem como o seu nome e imagem deixassem de ser usados como símbolos de promoção turística .

Amanhã irei visitar a cidade de Brastislava, na Eslováquia .Vou contactar com membros da comunidade angolana que lá residem. Voltarei certamente com novidades aqui desta Mukueba. Um abraço .

Deixe o seu comentário