Dia 6 e 7: A viagem de comboio Viena-Bratislava

Quarta-feira, dia 09 de maio foi praticamente um dia calmo. Depois do regresso de Graz, andei em passeios pelo centro histórico de Viena e a preparar a viagem que tenho no dia seguinte para Bratislava a capital da Eslováquia.
Já o dia 10 de maio começou mais cedo embora sendo feriado cá na Áustria. Fiz uma viagem de comboio de Viena até Bratislava, acompanhado do colega Jobilson José (câmera-man de serviço).O Jobilson é um angolano que vive na Áustria há cerca de 20 anos e montou tudo uma estrutura de filmagem .É um grande profissional e conhecedor do ofício,tendo também uma forte ligação com as comunidades angolanas residentes na Áustria e na Eslováquia.
A viagem de comboio Viena-Bratislava dura cerca de 55 minutos e faz-se muito bem.Na principal estação local fomos recebidos pelo Xavier de Sousa Simões “Xavi”, um angolano que tem 34 anos e vive há 24 anos em Bratislava (chegou ao país com apenas 10 anos) e é hoje o preparador físico da equipa do Slovan Bratislava . Os seus pais foram estudantes bolseiros angolanos em Bratislava, sendo que ele e mais três irmão ficaram por Bratislava para dar continuidade aos estudos.Ele é irmão da Ângela, a amiga que vive em Viena e que foi uma das responsáveis pela minha visita a este país belo que é a Áustria .Mas voltando para Brastislava, seguindo com um pequeno tour pela cidade com o Xavi e depois acabamos no estádio alternativo do Slovan Bratislava (o seu estádio principal está em obras), para acompanharmos a sua rotina diária.
Já na entrada do estádio e antes dos jogadores tomarem o seu pequeno-almoço, entrevistamos  com Robert Vittek, uma das estrelas da equipa, que nos falamos da sua relação e da trajectória de Xavi na equipa.Nono,um jogador espanhol ao serviço do Slovan Bratislava foi outros dos entrevistados.Xavi dirigiu uma sessão física no pavilhão e depois fomos para o campo relvado acompanhar a segunda sessão de treinos .O facto de Xavi ter estado a ser entrevistado por um jornalista do seu país, criou grande espanto e expectativa no seio dos atletas bem como entre os dirigentes do clube. Para ele também era um grande dia, afinal tratava-se da primeira vez que um órgão de comunicação social angolano se deslocava até Brastislava para o entrevistar. Pessoalmente, devo dizer que fiquei orgulhoso com a sua história e percurso. Xavi é uma pessoa respeitada e respeitadora no Slovan Brastislava.
Já no principal parque da cidade estive com Marielisa e o Eddy, dois amigos angolanos que já vivem em Bratislava há mais de vinte anos.São ambos filhos de diplomatas angolanos que estiveram em missão na Eslováquia. Hoje, Marielisa vive com um eslovaco e tem dois filhos.Ela vive em Brastislava e trabalha em Viena na Missão Diplomática de Angola naquela cidade. O Eddy tem uma companheira eslovaca e brevemente será pai.Eles apresentaram -me o Rodrigo que é eslovaco filho de um angolano com uma eslovaca. Foi certamente um dos momentos mais importantes desta passagem por Bratislava.Eles contaram-me todo um enredo de histórias de dificuldades, desafios e também de superação .
O Xavi no seu estilo de operador turístico levou a equipa da Vivências Press News até ao castelo da cidade. Com ele vimos também o Palácio de Grassalkovich, a residência oficial do Presidente eslovaco. Com ele fomos até ao La Bomba que é o espaço onde a angolana Mara Lukamba ensina kizomba em Bratislava.Mara Lukamba ou Mara Kizomba vive em Bratislava desde 1999 e com o irmão criou em 2010, o espaço “Kizomba: dois corações, um corpo “. Ela tem feito um importante trabalho de promoção e divulgação da nossa kizomba . Já trouxe até ao seu espaço artistas como Konde, Maya Cool e os Tabanka Djaz. Mara Kizomba vive com um cidadão eslovaco com tem duas lindas filhas, ele foi seu aluno de Kizomba.De uma paixão pela Kizomba nasceu uma paixão para afectiva e amorosa. A nossa Kizomba une povos e corações.
Deixo Brastislava com a promessa de voltar.Deixo Bratislava com o sentido de missão cumprida. Deixo Bratislava com o orgulho de ter conhecido e ter feito um trabalho de valorização, promoção e de respeito pela história de angolanos com atitude. Há verdadeiramente uma Angola que acontece fora de Angola.

Deixe o seu comentário