Diagnóstico, rotina

O diagnóstico de autismo é desafiador, especialmente no início da vida.

Um novo estudo publicado na revista “Scientific Reports” mostra que exames de Eletroencefalograma (EEG), que medem a atividade elétrica cerebral, indicam com precisão ou descartam o transtorno do espectro do autismo (TEA) em crianças, mesmo aquelas que têm apenas três meses de idade.

Exames do género ainda não se encontram disponíveis, por isso faça o monitoramento em família prestando atenção a qualquer comportamento da criança que note ser fora do normal.

Quanto antes o diagnóstico for efectuado, mais rápido o seu filho poderá aderir às terapias adequadas á sua condição.

Jamais use de força ou ameaças para que a criança mude de comportamento.

Tais atitudes para além de não funcionarem poderão causar traumas e como forma de defesa a criança pode tornar se violenta, ter ataques de pânico e dificuldade de assimilação.

Lidar com autismo requer bastante paciência e muita dedicação e ainda que haja progressos, existe a possibilidade de haver retrocessos.

Uma pequena mudança de rotina pode ser motivo para que a criança mude de comportamento pois o que para você pode ser um detalhe insignificante, pode ser uma montanha de confusão na mente do autista.

Tente manter a rotina diária, principalmente no que concerne às principais actividades diárias, mesmo que ele (a) recuse pratica las, seja firme e objectivo.

Já diz o velho ditado: Água mole em pedra dura, tanto bate até que fura.

Deixe o seu comentário