Dívida pública colocada por Angola aumenta 33% numa semana

A dívida pública colocada por Angola aumentou 33% na última semana, face à anterior, para 72,7 mil milhões de kwanzas (366,4 milhões de euros), continuando a pagar juros acima dos 23% a um ano.

Segundo o relatório semanal sobre a evolução dos mercados monetário e cambial do BNA, o banco central colocou no mercado primário, entre 11 e 15 de setembro, um total de 29,7 mil milhões de kwanzas (149,6 milhões de euros) em Bilhetes do Tesouro (BT) e 14,3 mil milhões de kwanzas (72 milhões de euros) em Obrigações do Tesouro (OT) indexadas à taxa de câmbio.

As taxas de juro médias a pagar pela emissão de BT pelo BNA, em representação do Estado angolano, oscilaram entre os 16,14% na maturidade a 91 dias e os 23,90% no prazo de 364 dias, inalteradas desde março, enquanto as OT indexadas à taxa de câmbio vão pagar taxas de juro nominais entre os 7,0%, pela maturidade de três anos, e os 7,5%, para a maturidade de cinco anos.

Esta foi a 30.ª emissão semanal de dívida pública de 2017 e no segmento de venda direta de Títulos do Tesouro ao público em geral foram ainda colocados 28,7 mil milhões de kwanzas (144,6 milhões de euros).

Angola vive desde finais de 2014 uma crise financeira e económica e no Orçamento Geral do Estado (OGE) de 2017 as receitas fiscais só deverão cobrir 49,6% das necessidades totais, acrescido das receitas patrimoniais, com 6,7%, de acordo com o mesmo documento.

As receitas provenientes do endividamento público deverão atingir um peso de 43,6% do valor global inscrito no Orçamento, chegando a 3,224 biliões de kwanzas (16,2 mil milhões de euros).

Além de contrair nova despesa pública, no mercado interno e externo, o OGE de 2017 prevê 2,338 biliões de kwanzas (11,7 mil milhões de euros) para o serviço da dívida este ano.

Nas contas do Governo, está inscrito um défice orçamental de 5,8% do Produto Interno Bruto em 2017, no valor de 1,139 biliões de kwanzas (5,7 mil milhões de euros).

Fonte: Lusa