Estado angolano deve 36 mil milhões de kwanzas à empresa pública de águas de Luanda

O Estado angolano deve cerca de 36 mil milhões de Kwanzas ( 100,2 milhões de euros) à Empresa Pública de Águas de Luanda (EPAL), mais de metade da dívida total, anunciou esta segunda-feira a direcção da empresa.

Segundo o director comercial da EPAL, Ângelo Filipe, a dívida acumulada da empresa ascende a 60 mil milhões de kwanzas ( perto de 167 milhões de euros) e, deste valor, 36 mil milhões de kwanzas “são dos organismos do Estado”.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

“Portanto, há aqui um problema muito grave que ainda temos que atravessar, porque se de um lado cobramos , do outro há entidades que não nos pagam”, disse o responsável à Rádio Nacional de Angola, anunciando o início, em breve, de uma campanha de corte de água aos clientes devedores.

O director comercial da EPAL assumiu que a capital angolana, Luanda, com mais de sete milhões de habitantes, ainda tem um défice de cerca de 350 mil contadores.

A ” primeira preocupação”, da empresa, adiantou, é resolver esse défice, referindo que “hoje em dia a aquisição e instalação de um contador e a respectiva mão-de-obra custa cerca de 30 mil kwanzas” (cerca de 83,5 euros).

“E estamos a ver que será um investimento na ordem dos 5 mil milhões de kwanzas (13,9 milhões de euros) e a empresa, por si só, não está, ainda, em condições de fazê-lo”, observou.

“Queremos sustentar a nossa actividade comercial e a nossa rentabilidade financeira para projectos que efectivamente despertem maior acutilância da população entre a produção, estabilização e depois outras acções (…)”, apontou.

Apesar de acções da empresa para o fornecimento de água em Luanda, várias zonas da capital angolana ainda não têm acesso a rede pública de água e outras carecem de reabilitação do sistema.

Fonte: Lusa.

Deixe o seu comentário