França quer alargar cooperação com Angola no domínio da agricultura

kalola Store

O ministro da Agricultura e Alimentação francês, Didier Guillaume, manifestou esta segunda-feira, em Luanda, disponibilidade do seu país em “ampliar a cooperação” com Angola no domínio da agricultura, sobretudo na formação de jovens no sector agroalimentar.

“A França pode ajudar a desenvolver Angola no domínio da agricultura, acabo de fazer a entrega de uma carta pessoal do Presidente Macron para o seu homólogo angolano onde ele manifesta a sua disponibilidade em ajudar a desenvolver a agricultura angolana”, disse esta segunda-feira aos jornalistas, em Luanda.

Falando no final da audiência que lhe foi concedida pelo Presidente angolano, João Lourenço, o governante francês, que iniciou esta segunda-feira a sua visita oficial de dois dias a Angola, disse que a aposta do seu país é ” alargar a cooperação”, sobretudo no domínio da formação.

Segundo Didier Guillaume, a formação vai munir os jovens de conhecimento para poderem ” cultivar melhor as terras”.

“Vamos amanhã [hoje] a Malanje para podermos, no quadro do instituto local, vermos em que medida podemos desenvolver as diferentes fileiras de formação no domínio da agricultura”, referiu.

Em Malanje, “já existe uma cooperação” e as autoridades francesas estão empenhadas em “amplificá-la, ir para além daquilo que já existe”, assegurou o governante francês.

O ministro da Agricultura e Alimentação francês iniciou esta segunda-feira em Angola uma visita de dois dias, no quadro dos acordos de cooperação bilateral, tendo realizado ontem uma reunião conjunta entre delegações de ambos os países.

Por seu lado, o ministro da Agricultura e Florestas de Angola, Marcos Alexandre Nhunga, assinalou que a visita do seu homólogo francês traz bons reflexos para Angola, recordando que França é dos maiores produtores mundiais e com alta tecnologia agrícola.

“Acredito que uma cooperação só traz mais-valia. Vamos priorizar a formação de quadros, também vamos trabalhar na questão ligada a produção de vacinas, onde a França tem uma experiência enorme”, realçou.

O governante angolano apontou igualmente perspectivas de novos projectos entre ambos os países, ligados, sobretudo, ao sector do algodão, a par da formação superior com o intuito de “profissionalizar” os institutos médios agrários angolanos.

“Vamos também desenhar projectos ligados ao algodão, porque a França tem uma produção muito forte nesta área com o oeste africano e podemos colher esta experiência, [além de que] tem vários institutos que formam muito bem os quadros (…)”, adiantou.

Nesta terça-feira, último dia da visita, Didier Guillaume visita o Instituto Superior de Tecnologia Agroalimentar de Malanje e a Escola Gustave Eiffel de Malanje, acompanhado por vários ministros angolanos.

Fonte: Lusa.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.