George Weah anuncia corte de 25% no seu salário de presidente

kalola Store

“A nossa economia está falida”, alertou o ex-jogador de futebol, que também quer revogar o artigo da Constituição que só permite a “pessoas de cor” adquirirem a cidadania liberiana

O recém-eleito presidente da Libéria e ex-jogador de futebol, George Weah, anunciou, esta segunda-feira, que vai cortar o seu salário em 25%, No seu discurso, o novo Chefe de Estado alertou a população para o mau estado da economia do país.

“Devido à muito rápida deterioração da situação da economia, estou a informar-vos hoje que, com efeitos imediatos, vou reduzir o meu salário e benefícios em 25%”, anunciou Weah, citado pelo jornal The Guardian, O valor restante num fundo de desenvolvimento para a Libéria.

“A nossa economia está falida. O nosso Governo está falido. A nossa moeda numa queda livre. A inflação a subir”, avisou.

“O desemprego nunca foi tão alto e as nossas reservas estrangeiras nunca foram tão poucas”, sublinhou, justificando assim o corte na sua própria remuneração.

A medida é olhada com admiração num continente que se tem habituado ao inverso: representantes do Estado que usam as suas funções para obterem salários extravagantes e vantagens, escreve o jornal.

George Weah venceu as eleições presidenciais em dezembro do ano passado, sucedendo a Ellen Johnson Sirleaff. A sua antecessora é uma economista vencedora do Nobel. Weah é um ex-atleta e até o hoje único futebolista africano a ganhar a Bola de Ouro.

Weah tinha prometido uma repressão à corrupção endémica existente no país e tem-se esforçado por apresentar medidas que a contrariem. No entanto, não é a primeira surpresa do seu mandato. O presidente quer revogar um artigo presente na Constituição e que apenas permite a “pessoas de cor” serem consideradas liberianas ou possuirem propriedades no país. Segundo a Reuters, Weah descreveu essas cláusulas como “desnecessárias, racistas e inapropriadas” para a Libéria do século XXI.

A Libéria é a república mais antiga da África e foi criada por escravos libertados pelos EUA. Foi declarada independente em 1847.

Fonte: DN

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.