Guilherme Galiano é o novo PCA da TV Zimbo

A informação consta de uma comunicação interna distribuída hoje ao funcionários da TV Zimbo e que a Vivências Press News teve acesso. Guilherme Galiano é o novo Presidente do Conselho de Administração (PCA), da TV Zimbo

O comunicado refere que “por urgente conveniência de serviço “, o conselho de administração da TV Zimbo informa que “por razões estruturais”, o presidente do conselho de administração Samora Borges Sebastião Albino, “cessou funções no passado dia 25 do mês e ano em curso”.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

“A partir da presente data, passa interinamente, o senhor Guilherme Narciso Galiano a exercer as funções de presidente do conselho de administração da TV Zimbo “, diz o comunicado com data de hoje, 28 de Janeiro e assinado pelo próprio nomeado em nome do conselho de administração.

“Sou um homem da rádio emprestado à televisão”

Foi assim que Guilherme Galiano se apresentou numa entrevista aos órgãos de comunicação social angolanos, quando apresentava o programa de entrevistas “Memórias da Independência” da TV Zimbo.

Nascido em Benguela aos 28 de Setembro de 1960, mas criado no Lobito e também em Luanda, o “Lhe Lhé” do Lobito ou “Kabango” dos tempos do basquetebol (foi jogador federado e internacional angolano), partiu para Portugal no dia 10 de Dezembro de 1981, aos 21 anos.

Guilherme Galiano iniciou a sua carreira profissional na Rádio Universitária do Tejo (RUT) onde apresentou o programa “A Voz do Kilimanjaro”, passando depois para a Rádio Comercial (1986-1992), esteve também no Rádio Clube Português (1992-1994), ingressando depois no projecto Canal África que deu origem, mais tarde , à RDP África, sendo um dos seus fundadores. Fez ainda parte do projecto “Kandando ” uma co-produção televisiva entre a RTP e a TPA, começando como produtor musical e depois apresentador do programa em substituição de André Mingas.

Em 2009, regressa definitivamente ao país (após quase 28 anos a viver em Portugal), abraçando um convite para exercer o cargo de director de Programas da TV Zimbo, a primeira televisão privada de Angola.

Em quase uma década de trabalho na TV Zimbo, Guilherme Galiano já exerceu também as funções de director de Informação, director de Projectos Especiais, entre outros cargos . É agora o novo presidente do conselho de administração (PCA) da TV Zimbo.

A TV Zimbo foi fundada a 14 de Dezembro de 2008, e em dez anos de existência, trata-se do oitavo conselho de administração da estação de Talatona. Um facto curioso na curta história da TV Zimbo, é o de que, nunca um conselho de administração terminou a sua referida comissão de serviço.

Um ano exigente, difícil e com muitos desafios

“Galiano tem a gestão da Zimbo num período muito difícil e de grandes dificuldades técnicas, humanas e financeiras. Este é talvez o período mais difícil na história da Zimbo. William Corrêa, deixou a Zimbo muito dividida do ponto de vista das relações humanas e ele terá de ser a ‘ponte’ entre as várias ‘Ilhas’ em que a estação se transformou”, disse um funcionário da estação televisiva angolana.

A notícia da nomeação do novo PCA da Zimbo foi encarada pelos funcionários com enorme expectativa e esperança de dias melhores. A “solução geringonça” adoptada pelos accionistas, onde Samora Albino, sem experiência na área de comunicação social, era uma mera “figura decorativa” e que William Corrêa era o “chefe de facto”, não terá resultado.

Além de ser uma manobra para contornar alguns “impedimentos legais” da parte de William Corrêa ( que sendo cidadão estrangeiro não pode por lei exercer um cargo de direcção num órgão de comunicação social angolano, de acordo com a lei), tal “arranjo” não resultou em termos práticos.

“O que William Corrêa fez foi pura cosmética, mudando o símbolo da Zimbo e mais umas obras nos estúdios. Estava num guerra aberta com Amílcar Xavier [director de Informação] e a televisão estava dividida em muitas alas. Havia muitas guerras surdas e bloqueios entre os funcionários, um clima tenso no ar. Guilherme Galiano é um homem de paz e promotor de diálogos, espera que consiga trazer harmonia e estar preparado para os desafios”, disse, um funcionário da área técnica.

Os funcionários que falaram sob anonimato para Vivências Press News, afim de evitarem futuras represálias, foram descrevendo os momentos que a primeira estação privada de televisão em Angola enfrenta.

“Estamos cansados de tantas mudanças de gestores e nada de resultados .Temos problemas de disparidades salariais, progressão nas carreiras, processo de admissão e recrutamento pouco transparentes, uma acentuada degradação das condições de trabalho, cortes constantes das ajudas de custo e algumas incertezas sobre o futuro. Por isso, penso que a nova administração tenha sensibilidade para auscultar os funcionários e poder de facto para gerir. Vamos aguardar “, disse uma funcionária com quase dez anos de serviço.

“Quo Vadis” William Corrêa?

Apresentado aos trabalhadores da TV Zimbo como o novo director-geral , no dia 09 de Fevereiro de 2018, o jornalista brasileiro, William Corrêa, criticou na altura o modelo de gestão das anteriores administrações, tendo afirmado que “nos últimos seis anos, a nossa televisão não apresentou modelos de gestão sustentáveis . Não evoluímos”, disse na altura.

“O nosso objectivo não é fazer concorrência a televisão pública. Somos uma televisão privada e queremos ser líderes neste segmento, queremos assumir a liderança neste sector. Queremos recuperar um lugar que já tivemos no passado, quero estabelecer um modelo de comunicação mais eficiente”, disse na altura, o então homem forte da Zimbo.

A Vivências Press News sabe que William Corrêa está neste momento no Brasil e que aguarda autorização das autoridades migratórias (SME), para regressar ao nosso país. Alguns problemas legais e migratórios estarão a dificultar o seu regresso. Por outro lado, os funcionários da TV Zimbo continuam sem um esclarecimento formal sobre um eventual regresso de William Corrêa e, qual será a sua posição no novo conselho de administração.

“Obviamente, foi demitido e já não deve regressar. Era previsível. Não acredito que aceite estar na nova administração sem poderes de decisão e gestão”, disse uma fonte da administração da Zimbo.

Deixe o seu comentário