Hoje é dia do último “adeus” e “obrigado” a Quinzinho

Partiu o homem, permanece o mito. O miúdo do Rodoviário, o jovem do ASA, o senhor no Futebol Clube do Porto. José Alberto da Silva “Quinzinho”, pai, marido, amigo, irmão, futebolista, ídolo e angolano vai ao encontro do eterno mestre Bobby Robson.

Falecido na segunda-feira, aos 45 anos, Quinzinho, o homem que marcou o primeiro golo da selecção de Angola num CAN fará hoje em Alverca a despedida.

Amigos, colegas, familiares, admiradores e anónimos estarão hoje no último adeus, partindo o cortejo fúnebre da Igreja de São Pedro de Alverca para o cemitério novo de Alverca quando forem 15h locais (mesma hora em Luanda).

Do lado do FC Porto (clube que representou nas épocas de 1995/96 e de 1998/99, a homenagem resume-se a um texto no site oficial do clube. A União Desportiva Vilafranquense onde trabalhou como preparador físico, emitiu uma nota de pesar. O Ministério da Juventude e Desportos de Angola também publicou uma mensagem de condolências e da Federação Angolana de Futebol surgiu também uma nota de pesar. Do seu eterno ASA, continua um silêncio que “faz barulho” e tarda o devido reconhecimento antes do último adeus.

“O seu desaparecimento prematuro constitui uma perda irreparável para o mundo do desporto, onde com brilhantismo evidenciou as suas qualidades de futebolista talentoso, erguendo em alta distinção as cores nacionais”, escreve o embaixador de Angola em Portugal, Carlos Alberto Fonseca.

“Pelos relevantes serviços prestados ao futebol nacional”, o Consulado-Geral de Angola em Lisboa assumiu todas as despesas fúnebres de Quinzinho, tendo criado uma comissão de apoio e acompanhamento permanente.

“Neste momento de angústia e tristeza, inclinamo-nos perante o malogrado para expressar à família enlutada, em meu nome e do colectivo de trabalhadores desta missão consular, os nossos sentimentos de pesar e de solidariedade”, escreve Narciso do Espírito Santo Júnior, Cônsul-Geral de Angola em Lisboa.

Hoje será dia de despedida, mas também de dizer “obrigado” ao Quinzinho. Dia de imaginar com expectativa o seu reencontro com o “velho” Bobby Robson.

Fica para sempre a honra e a lenda. Fica a garra, a força e determinação de um jogador que marcou uma geração.

Hoje será o último adeus na Igreja de São Pedro até ao cemitério novo de Alverca.

2 comments

É muita pena que o Ministério da Juventude e Desportos de Angola não tenha conseguido dar uma resposta positiva à família de Quinzinho que até ontem sonhava com a possível transladação dos restos mortais do ex-jogador. Quanto às mensagens e homenagens feitas pelo Porto e o Silêncio de outros clubes, fica mais uma vez claro que só temos valor enquanto vivos…

Até sempre nosso Quinzinho!!!

Nosso kota Quimzinho, descanse em paz. Quando era puto, enquantos uns roubavam o meu direito de estudar e crescer brincalhão e feliz, como outro puto qualquer, tu devolvias essa felicidade com os golos e toda aquela imponência física que usavas pra dominar os teus oponentes nas quatro linhas. CAN de 1996, o primeiro golo marcado por um angolano neste competição historicamente será sempre teu. Até que enfim irás ao encontro do teu/nosso eterno treinador Sir Bobby Robson. Descanse em paz, nosso ponta de lança. O Xande dará continuação ao teu legado.

Deixe o seu comentário