Hospital do Dôndi,no Huambo, reinaugurado depois de 41 anos fechado por causa da guerra 

O hospital, localizado no município do Cachiungo, tem a capacidade de internamento para 80 doentes e vai prestar serviços de clínica geral, pediatria, ginecologia e obstetrícia, consultas, pequenas cirurgias, assistência aos doentes com lepra, bem como operações às cataratas.

Durante a reinauguração, o secretário -geral da IECA, pastor André Cangovi Eurico, afirmou que a reabilitação do imóvel foi graças ao apoio financeiro do governo,que disponibilizou, para o efeito, 10 milhões de Kwanzas, dos 20 milhões previstos. 

O hospital da missão do Dôndi foi fundado em 1914, mas foi encerrado em Fevereiro de 1976 por causa do conflito armado que assolou o país. Prestava serviços de cirurgia, clínica geral, pneumologia, tratamento da lepra, ginecologia e obstetrícia , pediatra, oftalmologia e ortopedia. 

A unidade hospitalar vai contar inicialmente com uma equipa de 10 enfermeiros e dois médicos, e com uma assistência comparticipada dos pacientes que procurem os serviços de saúde naquela unidade hospitalar, cuja gestão será feita pela IECA . 

A Missão Católica do Dôndi congrega além do hospital, outras instalações como o Instituto Curie, Escola Emanes e o Seminário – Maior. Na sua história incluem-se nomes como os de Georges Chikoty (actual ministro das Relações Exteriores), Isaías Samakuva ( presidente da UNITA), Abel Chivukuvuku ( líder da CASA CE), Daniel Chipenda, Jardo Muekália e até mesmo Jonas Savimbi. 

Deixe o seu comentário