Iniciativa e “acabativa”

As pessoas vivem num ciclo vicioso de estagnação, que circula entre três estados:

  • Querer algo mais da vida
  • Descobrir o que fazer para ter algo mais na vida
  • Tentam (quando tentam) e desistem de fazer o que têm que fazer, por achar que é muito difícil

Passa um tempo depois do terceiro estado e voltam ao primeiro, vivendo assim a maior parte do tempo, desperdiçando constantemente oportunidades de avançar.
Há coisas que devemos aceitar, uma delas é que, se queremos algo a mais, temos que fazer algo a mais. Se queremos algo diferente, temos que fazer algo diferente. Sair da nossa rotina custa, mas só temos estas duas hipóteses: Conforto e estagnação, ou então desconforto e mudança.

O conforto e o excesso de segurança mantém-nos no mesmo lugar, enquanto não decidirmos quebrar a rotina.

O desconforto de sair daquilo a que estou habituado, provoca algum tipo de mudança.

Há poucas pessoas que confiam neste processo. Querem resultados mágicos, instantâneos e irreais, sem dor. Então quando sentem as coisas a ficar desconfortáveis, voltam ao início do ciclo vicioso. Dizem que querem algo mais. A minha pergunta é: Queres mesmo? Queres realmente algo mais? Aquilo que dizes está ao nível daquilo que fazes? Aquilo que sonhas está ao nível daquilo que sacrificas?

Deixa estas perguntas ganharem espaço dentro de ti, e começa a ser sincero contigo mesmo.

Pode ser que digas que queres mais porque à tua volta te dizem que devias querer mais. Mas não é algo que nasça de ti.
Também pode ser que realmente queiras mais… Mas então se queres, faz! Falar sobre o que queres, e não ter ações que correspondam a esses desejos, só te vai trazer mais remorsos. Cada vez que tomas conhecimento do que tens que fazer, já não consegues não saber o que tens que fazer.
Isso quer dizer que cada vez que começas este caminho, e decides ficar a meio, debilitas-te um pouco mais, porque fazes-te acreditar que tentaste e não conseguiste. Mas a questão aqui não é tentar, é fazer. É começar e acabar. É ter iniciativa e acabativa. É ter coragem para ir até ao fim.

Acredito que quando tomamos conhecimento, seja como for, de algo que temos que melhorar, é porque estamos preparados para a mudança.

Então a questão aqui é, do que estás à espera?

Desejo-vos um Julho cheio de desconfortos!

Até para a semana!