Internet Technologies Angola disponibiliza nova tecnologia de transmissão de dados

kalola Store

O novo sistema de satélite DVB-SX2, o primeiro em Angola, é uma actualização do padrão DVB utilizado em tecnologias de alta definição com alta performance na transmissão e recepção de dados.

Esta nova tecnologia garante um aumento de eficiência de transmissão até 50% para aplicações profissionais, reforçando a fiabilidade das ligações com ganhos significativos a nível de desempenho e qualidade de transmissão de dados.

Em simultâneo com a implementação da nova tecnologia, a ITA renova a sua estação terrestre de satélites localizada no seu campus na zona do Patriota, através da instalação de uma nova antena de 7,6 metros para Banda KU e o reposicionamento de outras antenas menores responsáveis pelo uplink de dados.

Segundo o CEO da empresa, Rolf Mendelsohn, a implementação da nova tecnologia e a modernização da estação terrestre de satélite, oferecem vantagens competitivas aos clientes da ITA que necessitam de serviços de conectividade estáveis e de alta capacidade de transmissão de dados em zonas remotas de Angola.

“Com essas melhorias, conseguimos oferecer serviços de conectividade fiáveis em qualquer ponto dos mais de 1,2 milhões de quilómetros quadrados do território nacional”

Num momento em que a empresa angolana se internacionaliza através da sua consolidação com o grupo PARATUS, a ITA destaca-se como pioneira na utilização deste sistema em Angola e ratifica a sua proposta de transformar Angola em um HUB de dados para a África Subsariana, através do reforço e do aumento da cobertura nacional, da inauguração do novo Data Center, da expansão da rede de fibra óptica e do aumento da qualidade e da cobertura internacional dos serviços de telecomunicações.

Sobre as empresas

A ITA – Internet Technologies Angola foi fundada em 2005, tendo actualmente mais de 160 colaboradores.

A PARATUS Africa é uma organização multinacional – com escritórios em Angola, Botswana, Moçambique, Namíbia, África do Sul e Zâmbia – que estabelece uma rede própria em África e fornece serviços de conectividade a mais de 20 países africanos.

Fonte: Angop

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.