Investimento privado em Angola com propostas de 380 milhões de euros entre Julho e Outubro

Segundo a Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações, as propostas preveem a criação de 3.827 postos de trabalho. Estão abrangidas as áreas da agricultura, indústria, comércio e saúde.

A Agência de Investimento Privado e Promoção das Exportações (AIPEX) de Angola recebeu, entre julho e outubro, 52 propostas de investimento privado, avaliadas em 380 milhões de euros, indica esta sexta-feira um comunicado da instituição.

Segundo o documento, as 52 propostas, sobretudo para as áreas da agricultura, indústria, comércio, saúde e serviços, preveem a criação de 3.827 postos de trabalho e foram todas caucionadas pela AIPEX, que emitiu certificados de registo de investimento para cada uma delas.

No âmbito das atribuições relativas à captação de investimento direto, refere-se no comunicado, o executivo adotou uma estratégia que define como setores prioritários para o investimento privado, em geral, e o estrangeiro, em particular, os setores da agricultura, pecuária e pescas, extração de metais e minerais, madeira e derivados, turismo, têxteis e calçado e indústria alimentar.

As propostas juntam-se a cinco mil outras aprovadas na vigência das extintas Agência Nacional para o Investimento Privado (ANIP), Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP), Agência para Promoção de Investimento e Exportações de Angola (APIEX) e Unidades Técnicas de Apoio ao Investimento Privado (UTAIP).

Numa entrevista recente ao Jornal de Angola, o administrador da AIPEX Lello Francisco destacou, entre as propostas aprovadas pela agência, um projeto de 50 milhões de dólares (43,1 milhões de euros) para a construção de um parque industrial no Bengo, província vizinha da de Luanda, especializado na produção de vasilhame em cerâmica e vidro para diversas utilidades.

Outro então apontado por Lello Francisco é o projeto agrícola para produção de milho e soja em Malanje, cifrado em 30 milhões de dólares (25,8 milhões de euros), de que se esperam efeitos multiplicadores nos domínios da criação de emprego e rendimentos.

O administrador da AIPEX mencionou, ainda, o da modernização da Vidrul, em Luanda, em que está previsto o investimento de mais de 20 milhões de dólares (17,2 milhões de euros) na substituição dos atuais fornos e na produção de recipientes de vidro para bebidas alcoólicas, refrigerantes e outros produtos.

Lello Francisco, que administra a área de Avaliação de Propostas de Investimento, Estudos e Acompanhamento de Projetos da AIPEX, garantiu estarem “totalmente criadas” as condições para o arranque dos projetos.

Fonte: Lusa

Deixe o seu comentário