João Lourenço quer receber Marcelo Rebelo de Sousa com um “banho de carinho e afectos”

Gearbest Alfawise V8S Max UV Sterilization + Disinfectant Disinfection Wet and Dry Robot Vacuum Cleaner promotion

O Governo angolano está a preparar com pompa e circunstância a primeira visita oficial que, durante a primeira semana de Março, Marcelo Rebelo de Sousa vai fazer ao nosso país. Com esta visita, segundo disse ao Expresso o ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto, Angola espera ver dado “um salto qualitativo” na cooperação com Portugal.

O chefe da diplomacia portuguesa, Augusto Santos Silva, esteve sexta-feira, na capital angolana para se avistar com o seu homólogo e com o Presidente João Lourenço. O embaixador de Portugal em Angola, João Caetano da Silva, reuniu-se também na semana passada com altos funcionários do Palácio da Cidade Alta (sede do Poder Executivo) e ambos terão concertado com as autoridades angolanas os últimos pormenores da visita.

Antevista já nos meios diplomáticos angolanos como ” a maior visita de um chefe de Estado português a Angola”, Marcelo Rebelo de Sousa presidirá a uma sessão solene na Assembleia Nacional, tem a presença agendada num festival de música com cantores angolanos e portugueses e deslocar-se-á às províncias de Benguela e da Huíla.

A Vivências Press News soube também que o MIREX e o Palácio das Necessidades (sede do Ministério dos Negócios Estrangeiros de Portugal, estão a trabalhar em permanente sintonia para evitar o surgimento de qualquer “irritante” antes e durante a visita de Marcelo Rebelo de Sousa a Angola.

“Havia um grande receio que o caso de violência no bairro da Jamaica pudesse criar um novo ‘irritante’ entre os dois países. A visita de Marcelo ao bairro e o encontro com moradores, teve um impacto positivo junto das autoridades e da sociedade angolana”, afirma um antigo diplomata angolano.

João Lourenço convida Marcelo Rebelo de Sousa para festa de aniversário

Marcelo Rebelo de Sousa chegará a Luanda a 5 de Março e nesse mesmo dia à noite participará como convidado de honra num jantar comemorativo dos 65 anos de João Lourenço ( nasceu no Lobito a 5 de Março de 1954).

“O Presidente quer retribuir ao chefe de Estado português a cordialidade e o afecto da sua estada em Portugal e como reconhecimento também do papel no desbloqueamento do ‘irritante’ entre os dois países”, disse ao Expresso fonte do Palácio da Cidade Alta .

E é por via desde papel que Angola quer aproveitar esta visita para aprofundar as relações com Portugal com a assinatura de novos acordos de cooperação.

“Vamos tentar fazer a ponte em áreas que ainda não estavam devidamente exploradas e acelerar a regularização dos pagamentos pendentes às empresas portuguesas”, revelou fonte do Ministério das Finanças.

Sendo uma dessas áreas a segurança pública e a ordem interna, os Ministérios angolano do Interior e da Administração Interna de Portugal deverão subscrever um novo acordo de cooperação.

“Com este acordo vamos poder abrir novos canais para poder incrementar a troca de informações entre os dois países e aproveitar a larga experiência da Polícia Judiciária portuguesa em matéria de investigação criminal”.

A actividade marítima e a gestão e valorização dos recursos marinhos, bem como a gestão dos portos angolanos deverão contar também com o apoio português com a assinatura de um memorando de entendimento entre o Ministério luso do Mar e os Ministérios angolano das Pescas e do Mar e dos Transportes.

Luanda propôs ainda à parte portuguesa o estabelecimento agora de uma parceria entre a Parpública e o IGAPE (Instituto Angolano de Gestão e Participações do Estado), no âmbito do resgate de activos do Estado em posse de entidades privadas e da nova política de privatizações encetada pelo Presidente João Lourenço.

“Com esta parceria pretendemos, a partir da experiência portuguesa, imprimir um controlo mais eficaz e transparente às participações do Estado e ao processo das privatizações”, disse ao Expresso fonte do Ministério angolano das Finanças.

Lisboa foi convidada também a transmitir a sua experiência no domínio da administração das autarquias e da gestão hospitalar.

A cooperação no sector da educação para Luanda deverá finalmente ganhar um novo impulso com a implementação do projecto de formação de professores a cargo de docentes portugueses.

No interior, Benguela e Lubango aprimoram os preparativos para receber em apoteose Marcelo.

“Vamos oferecer-lhe um banho de carinho”, disse ao Expresso fonte do governo da Huíla, onde o Presidente português visitará a estação velha do caminho de ferro de Moçamedes e o Instituto Superior de Ciências de Educação.

Na cidade do Lubango, Marcelo Rebelo de Sousa proferirá uma aula magna sobre Direito Constitucional e, em Benguela, onde reside a segunda maior comunidade de portugueses em Angola , receberá as chaves da cidade.

João Lourenço quer receber o “Presidente dos afectos” com uma recepção calorosa, com um verdadeiro “banho de carinho”, institucional e popular, algo que o seu homólogo português já está habituado e que retribui com espontaneidade.

Fonte: Expresso.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.