João Lourenço:”Estamos a construir uma nova Angola”

O Presidente angolano quer reforçar os laços com Portugal e promete combater “a corrupção e a impunidade”. Ferro Rodrigues saudou a determinação em “afirmar um Estado Democrático de Direito”.

Estamos a construir uma nova Angola, de transparência, de concorrência leal nos negócios, um ambiente de negócios cada vez mais amigo do investimento”, garantiu, na intervenção, João Lourenço.

publicidade

Antes, o Presidente angolano tinha prometido o combate “ao cancro que mina os alicerces das instituições”: a corrupção e a impunidade, “com envolvimento do poder legislativo, judicial mas também de toda a sociedade civil”.

De Portugal, João Lourenço espera “uma maior presença de empresários e homens de negócios” para “uma base de cooperação mutuamente vantajosa” mas quer mais do que “mera partilha de interesses económicos e empresariais”.

O Presidente angolano quer “consultas políticas, diplomáticas e parlamentares permanentes e troca de opiniões em áreas como a educação, ciência, tecnologia, cultura e desporto.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Ferro Rodrigues, o anfitrião desta sessão solene, disse ao Presidente angolano que “reconhecemos as diferenças mas o que prevalece é o calor humano, a vontade de trabalhar em conjunto, de cooperar, de conviver”.

“Há muito onde podemos e devemos trabalhar em conjunto, como parceiros ativos da comunidade internacional”, diz o Presidente do Parlamento.

Ferro Rodrigues saúda “pessoalmente” João Lourenço, “pela coragem e determinação em afirmar em Angola um Estado Democrático de Direito” e deseja-lhe “as maiores felicidades”.

A fechar a intervenção, Ferro Rodrigues cita Luandino Vieira: “A pergunta no ar/ No mar/ Na boca de todos nós:/ Luanda, onde está?”, para concluir :”Angola está nos nossos corações“.

O Presidente da República de Angola, é o segundo chefe de Estado, desde 2016, a ser recebido e a discursar na Assembleia da República, depois do rei Filipe VI de Espanha, há dois anos.

Na sessão solene vão estar presentes os deputados, bem como um figurino ou cerimonial, numa cerimónia idêntica à das sessões solenes do 25 de Abril.

Marcelo Rebelo de Sousa, que já esteve com o Presidente de Angola esta manhã, vai estar presente na Assembleia da República, tal como António Costa.

Eduardo Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, vai também discursar.

São convidados ex-presidentes, ex-primeiros-ministros, presidentes dos tribunais superiores, a Procuradora-Geral da República e outras altas figuras do Estado português.

As cerimónias entendem-se também ao salão nobre do palácio de São Bento, onde, desde a manhã desta quinta-feira, estão duas bandeiras, uma de Portugal e outra de Angola.

Desde 1990, foram 17 os chefes do Estado e do Governo a serem recebidos, em sessão solene, como o Presidente timorense Xanana Gusmão, Lula da Silva (Brasil), Lech Walesa (Polónia), o rei Juan Carlos (Espanha), Jacques Chirac (França) e ainda Vaclav Havel.

Fonte:TSF

Deixe o seu comentário