José Eduardo dos Santos fez curta escala em Lisboa e seguiu para Espanha em voo privado

O voo TP 288 da companhia aérea portuguesa TAP aterrou no Aeroporto Humberto Delgado em Lisboa, quando eram 16h52 (mesma hora em Luanda).

Na zona reservada ao desembarque de passageiros, a equipa da Vivências Press News, registou um pequeno e disperso grupo de cidadãos que se deslocaram ao aeroporto, na vã tentativa de ver desembarcar, ao vivo e a cores, José Eduardo dos Santos .

publicidade

Um discreto aparato de segurança, constituído por quatro “caenches” portugueses, colocados à saída da zona do Protocolo do aeroporto, as viaturas protocolares e alguma movimentação revelavam que o “passageiro imprevisto” do voo TP 288 estava na sala.

José Eduardo dos Santos viajou acompanhado de três seguranças, o seu médico pessoal e também o general Leopoldino do Nascimento “Dino”.

Durante o voo, o antigo chefe de Estado angolano socializou com vários passageiros da classe executiva da TAP. José Eduardo dos Santos não fez nenhuma refeição, tendo apenas bebido água mineral.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

“Ele passou grande parte do tempo a ver filmes e a ouvir música. Não comeu nada e só bebeu água mineral. Ia metendo conversa com um dos seus seguranças que estava ao seu lado. O general Dino estava atrás dele ao lado do médico pessoal de ex-Presidente”, afirmou à Vivências Press News uma fonte que estava no avião.

Após a aterragem no Aeroporto Humberto Delgado, José Eduardo dos Santos recebeu no interior da aeronave cumprimentos de boas-vindas de Carlos Alberto Fonseca, Embaixador Extraordinário e Plenipotenciário de Angola em Portugal.

Carlos Alberto Fonseca exerceu anteriormente as funções de secretário para os Assuntos Diplomáticos e Cooperação Internacional do então Presidente José Eduardo dos Santos.

“Falou-se muito de manifestações de apoio aqui no Aeroporto Humberto Delgado, mas eu sabia que José Eduardo dos Santos não iria ficar cá em Lisboa. Em 38 anos como Presidente da República de Angola, ele só visitou oficialmente Portugal por três vezes. Ele não gosta muito de estar em Portugal e também sabe que a comunidade angolana aqui em Portugal não morre de amores por ele. Era previsível que ele não sairia do aeroporto”, disse à nossa reportagem uma cidadã angolana residente em Portugal.

Já na zona reservada às entidades diplomáticas, além do embaixador angolano, destaque também para a presença de um alto funcionário do Protocolo do Estado português.

Quando passavam já alguns minutos das 18h, Carlos Alberto Fonseca despedia-se de José Eduardo dos Santos e restante comitiva, deixando o aeroporto na sua viatura protocolar.

José Eduardo dos Santos e sua comitiva deixaram Lisboa com destino a Barcelona em voo privado, garantiu uma fonte aeroportuária.

Uma presença notável nas proximidades da área protocolar do Aeroporto Humberto Delgado foi a de Matos Mota Kito, um destacado militante do MPLA da era Eduardo dos Santos. Uma feliz coincidência ou uma surpresa? O facto é que o “destacado militante” lá esteve de pedra e cal, e manteve uma conversa de circunstância com a Vivências Press News.

José Eduardo dos Santos partiu de Lisboa para Barcelona em voo privado.
No dia 15 de Maio, o ex-Presidente de Angola e sua comitiva voltam a escalar o aeroporto de Lisboa.
Quem sabe dessa vez (se Deus quiser e a saúde permitir), visite a Baixa Pombalina ou vá fazer compras ao Centro Comercial Colombo? Quem sabe? O tempo dirá.

Deixe o seu comentário