José Filomeno dos Santos “Zenu” constituído arguido e impedido de sair do país

kalola Store

José Filomeno dos Santos “Zenu”, filho do ex-Presidente angolano, José Eduardo dos Santos, foi constituído arguido e está impedido de sair do país, disse esta segunda-feira, 26 de março, o sub-procurador-geral da República de Angola, Luís Benza Zanga.

Em causa está uma investigação a uma alegada transferência irregular de 500 milhões de dólares para um banco britânico, que já levou à constituição como arguido de Valter Filipe, ex-governador do Banco Nacional de Angola (BNA), no passado dia 15 de março. O antigo responsável do BNA é suspeito dos crimes de peculato e branqueamento de capitais.

A transferência de 500 milhões de dólares do BNA para uma conta do Crédit Suisse em Londres seria uma garantia para um suposto financiamento no valor de 30 milhões de dólares. “As autoridades financeiras londrinas suspeitaram, e bloquearam os fundos em Londres”, descreveu o blogue Maka Angola, dirigido pelo jornalista e activista Rafael Marques.

O Presidente da República de Angola, João Lourenço, havia exonerado José Filomeno dos Santos “Zenu” da administração do Fundo Soberano de Angola a 10 de janeiro deste ano por “conveniência de serviço”.

Chefe do Estado-Maior General das FAA constituído arguido

Ainda hoje a Procuradoria-Geral da República revelou que o actual chefe do Estado-Maior General das Forças Armadas Angola, Geraldo Sachipendo Nunda e os antigos responsáveis da Unidade Técnica para o Investimento Privado (UTIP), Norberto Garcia, da Agência para a Promoção do Investimento e Exportações de Angola (APIEX) Belarmino Van-Dúnem , foram constituídos arguidos no caso de tentativa de burla ao Estado angolano de 50 mil milhões de dólares.

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.