Lisboa acolhe colóquio internacional sobre o 27 de Maio de 1977 em Angola 

“Insistir na busca da verdade para fazer constar da memória dos homens e das coisas”, será um dos motes para o primeiro colóquio internacional sobre o 27 de maio de 1977 em Angola, que terá lugar no dia 26 , no auditório 1 da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

Dividido em dois painéis, serão discutidos temas como: “A importância das fontes orais na abordagem ao 27 de maio” por Leonor Figueiredo. “Cânticos silenciados em 1977: Lembranças musicais de Artur Nunes, David Zé e Urbano de Castro ” será um dos temas abordados por Francisco Júnior da FLUC.

“O 27 de Maio. Problema angolano no contexto africano. Que tipo de justiça?” será o tema apresentado por Marcolino Moco. O jurista Benja Satula abordará o tema” Do processo ao não processo, a irracionalidade dos guerrilheiros da razão ” , uma perspectiva jurídica sobre o processo.

“A barbárie do 27 de maio e o direito à memória ” será a escolha de Fernando Macedo.” Uma narrativa silenciada , a liderança das mulheres na revolta do 27 de maio de 1977. O caso do Destacamento Feminino das FAPLA” será o tema a ser apresentado por Margarida Paredes .

Da Comissão Organizadora do Colóquio fazem parte : Myriam Taylor de Carvalho, Verónica Leite de Castro, Edson Vieira Dias Neto, e Pedro Aires Oliveira.

ONDE PARA O CORPO OU MELHOR,AS OSSADAS DE TITO LUÍS SUDESTE DE MENDONÇA,VULGO “TILU”.QUE FOI MORTO PELA DISA ÀS ORDENS DE ONAMBWE PARA O ZÈ DU FICAR COM A MULHER DELE A “FAMIGERADA “MILUCHA”E CRIOU O FILHO DE AMBOS TILUCHO?

Deixe o seu comentário