Mais de 20% das mulheres angolanas vivem em relação polígama

De acordo com os dados do estudo, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística (INE) e consultado hoje pela Lusa, a relação polígama é mais assumida pelas mulheres (22%), enquanto apenas 8% dos homens “declararam ter duas esposas ou mais”. 

“A medida que o nível socioeconómico aumenta, diminui a poligamia “, reconhece o Inquérito de Indicadores Múltiplos de Saúde (IIMS), acrescentando que a percentagem de mulheres “com uma ou mais coesposas aumenta com a idade”. Varia de 9% entre as mulheres de 15 a 19 anos e 33% entre as mulheres de 45 a 49 anos . 

Além disso, a percentagem de mulheres com, pelo menos, uma coesposa é maior nas áreas rurais (29%) do que nas áreas urbanas (18%) e as mulheres com menor nível de escolaridade “são mais propensas a ter coesposas”, já que 28% das que declararam não ter escolaridade assumiram ter uma ou mais coesposas, contra 13% das mulheres com nível secundário ou superior. 

O estudo reconhece igualmente que a percentagem de mulheres em uniões poligâmicas varia consoante a província, sendo mais baixa em Luanda (14%) e na Lunda Norte (13%), e mais elevada no Cuanza Norte(42%).

No caso dos homens, o IIMS aponta que o número de esposas “aumenta com a idade”, ou seja, varia de 2% nos homens de 20 a 24 anos, para 14% entre os 45 e os 49 anos. 

Os resultados do IIMS 2015/2016 mostram que 55% das mulheres e 48% dos homens, entre os 15 e os 49 anos, são casados ou vivem em união de facto. Por outro lado, 92% dos homens casados ou em união de facto declararam ter apenas uma esposa e 8% declararam ter duas esposas ou mais . 

Em média, as mulheres angolanas têm a primeira relação sexual aos 16,6 anos, enquanto os homens aos 16,4. 

Fonte: Lusa

No tags for this post.

1 comments

Neste estudo não é feito nenhum comentário sobre as famílias duplas que existem em Portugal e outros países da Europa. A maioria são homens, Angolanos e Europeus que vivem em Angola e tem mulheres e filhos em ambos os continentes. Os que tem mais dinheiro sustentam as 2,3 familias e os que trabalham para comer sustentam a família Angolana e a família Europeia vive da Seg.Social.

Deixe o seu comentário