Ministro das Relações Exteriores Manuel Augusto apresenta queixa na PGR contra embaixador Lima Viegas

A informação foi avançada pelo procurador-geral da República, Hélder Pitta Grós, à margem da conferência “Corrupção -Um Combate de Todos para Todos”, realizada esta segunda-feira, 10, no Anfiteatro do Palácio da Justiça, em Luanda.

Segundo o responsável, António Lima Viegas ainda não foi notificado da queixa apresentada pelo ministro das Relações Exteriores, Manuel Augusto.

Crítico em relação às acusações publicadas nas redes sociais por António de Lima Viegas, que diz ter sido exonerado por ter descoberto “um dos ninhos de marimbondos” do Ministério das Relações Exteriores (MIREX), Hélder Pitta Grós defende que as mesmas deveriam ter sido apresentadas à PGR.

Para além de reprovar a atitude do ex-responsável da Inspecção -Geral do MIREX, o procurador -geral da República sublinhou que a PGR não pode investigar todas as denúncias que circulam nas redes sociais.

No caso de António de Lima Viegas que liderou a “instrução de duas inspecções profundas e rigorosas” ao Instituto das Comunidades Angolanas no Exterior e Serviços Consulares (ICAESC) e à Direcção de Recursos Humanos do MIREX. As denúncias de Lima Viegas sustentam que é a partir do MIREX “que existem os maiores desvios de milhões de dólares que foram descobertos” no Estado.

“Não tenho dúvidas que um dos maiores buracos, ou mesmo o maior do país é no MIREX e nas Missões Diplomáticas e Consulares, e MDC’s nos países fronteiriços”, apontou o ex-inspector na mensagem divulgada nas redes sociais.

“O titular do Poder Executivo [Presidente João Lourenço] tem que saber que o ministro Manuel Augusto está a ludibriá-lo. À sua frente diz uma coisa e por trás faz o contrário “, garantiu o responsável, adiantando que se sente ameaçado.

“Resolvi efectuar a presente denúncia devido às graves irregularidades que vive o MIREX, e por outro lado porque a minha vida corre perigo”, disse.

Na mesma missiva, dirigida aos diplomatas e trabalhadores do MIREX, António de Lima Viegas assume-se como a “primeira vítima da picada do marimbondo“, e reitera as acusações contra Manuel Augusto.

“Senhor ministro Manuel Augusto, toda a gente sabe que você sofreu uma grande pressão do seu director de Gabinete Salvador Allende, e do Secretário-Geral, Agostinho Van-Dúnem, que lhe encorajaram para tomar a decisão de me exonerar”, afirma o ex-inspector -geral do MIREX.

Lima Viegas sublinha que descobriu “um dos maiores ninhos de marimbondos existentes no Ministério das Relações Exteriores.

Controlar a ADA “por todos os meios necessários”.

António de Lima Viegas é actualmente presidente da Associação dos Diplomatas Angolanos “ADA” (funções que acumulava com o cargo de inspector -geral do MIREX), uma fonte confidenciou a Vivências Press News que, face aos últimos acontecimentos, uma das estratégias da actual direcção do MIREX (encabeçada por Manuel Augusto) é a de tomar o controlo da ADA, aproveitando o pleito eleitoral que se avizinha .

“Controlar a ADA e desacreditar Lima Viegas, usando todos os meios necessários”, é uma das estratégias que tem sido “cozinhada” no MIREX, garantiu a fonte.

A outra passa por garantir apoio a uma das listas de candidatura à presidência dos órgãos sociais da Associação dos Diplomatas Angolanos, liderada por Sara Assunção da Silva (Conselheira, funcionária do MIREX desde 1983 e actualmente na DAM), com o lema : ADA, juntos pela dignidade da classe.

Fazem ainda parte do conselho directivo da lista encabeçada por Sara Assunção da Silva, os seguintes diplomatas: Fernando Marques, Maria Almeida, Mauro Machado, António Cristovão, Cabral Laureano, Eduardo Cangango, Sara Monteiro, Domingas Inglês, Jurema Barros e Nzoji Mandriz.

Júlio Hélder Lucas (Embaixador de carreira e ingressou no MIREX em 1977. Tem 71 anos de idade e está reformado) é nome proposto para presidente da Mesa da Assembleia-geral da ADA. E Pedro Kiala Bunga (ministro conselheiro e quadro do MIREX desde 1983. Está actualmente na Conferência Internacional da Região dos Grandes Lagos -CIRGL), é o nome indicado para presidir o Conselho Fiscal da listáveis concorre à presidência da ADA.

” O MIREX vive actualmente grandes tribulações, guerras e desafios. Além das denúncias de corrupção, peculato, tribalismo e nepotismo, agora a instituição também enfrenta uma guerra de interesses corporativos e de grupos, de egos e de gerações. É o inspector-geral que acusa ministro, é ministro que faz queixa do inspector -geral na PGR. É um ‘lavar de roupa suja’ que não é positivo para a nova estratégia da diplomacia angolana definida pelo Presidente João Lourenço. Algo não vai bem no MIREX e todos nós sabemos disso”, confidenciou a Vivências Press News, um diplomata de carreira e actualmente reformado.

Fonte : Novo Jornal online e VPNEWS.

1 comments

Está bem que nem todas denúncias feitas nas redes sociais devem ser levadas às mesas da PGR e investigadas, mas uma dessas não pode ser vista como uma denúncia qualquer. Merece sim apreciação.

Deixe o seu comentário