“Moçambique não vai ter outra guerra”, prometeu o Presidente

kalola Store


O Presidente de Moçambique, Filipe Nyusi, diz que não permitirá a chantagem de terroristas patrocinados, de Cabo Delgado, para outra guerra mortal.

Filipe Nyusi, chefe de Estado moçambicano, culpa o que considerou serem as “elites internas e externas” pela insurgência terrorista na província norte de Cabo Delgado. Tais declarações foram proferidas pelo Presidente, esta semana, no evento de início oficial das actividades que culminarão no 45.º aniversário da independência nacional a 25 de Junho.

“Os moçambicanos não vão tolerar repetidamente a chantagem da guerra cíclica, impulsionada por grupos de indivíduos manipulados para apoiar o ego das elites internas e externas”

As actividades terroristas mortais em Cabo Delgado

O Presidente referia-se aos contínuos ataques terroristas no Norte do país, na província de Cabo Delgado. Os ataques já resultaram na morte de mais de 1.000 pessoas desde 2017. Segundo estimativas das Nações Unidas também, mais de 200.000 pessoas daquela província foram deslocadas devido na sequência de tais actividades terroristas. Os problemas em Cabo Delgado começaram logo após a descoberta de um dos maiores depósitos de gás natural da África na área, três anos atrás.

“Devemos valorizar a diversidade e trabalhar juntos como um povo”

Durante o início das celebrações da independência, esta semana, o Presidente Nyusi apelou à unidade e ao fortalecimento dos esforços dos moçambicanos para defenderem a soberania da nação.

“Esta data (Dia da Independência) lembra a necessidade de não cedermos à complexidade dos desafios que enfrentamos. A variedade de nossa composição cultural, como nação, e a abundância de recursos naturais são a nossa força. Somente se valorizarmos a diversidade e trabalharmos juntos em unidade, construiremos um país forte e próspero ”, afirmou o Presidente.

O Presidente Nyusi prestou ainda homenagem aos jovens membros das forças armadas em todo o país, especialmente os que se encontram nas regiões problemáticas do Norte e do Centro.

Barco capota provocando a morte a 13 pessoas

Logo após o discurso presidencial, um relatório da AFP, de sexta-feira, dava conta da morte de 13 pessoas. Ter-se-ão afogado quando um barco com 50 pessoas encontrou mau tempo, a sul de Pemba, na província de Capo Delgado. No total foram resgatadas 35 pessoas.

Segundo o porta-voz da polícia moçambicana a embarcação transportava recrutas para as áreas terroristas da província de Cabo Delgado.

“Nossa investigação sobre os motivos dessa viagem nocturna, sem notificar as autoridades marítimas, ainda está em andamento”

Com Vatican News

Deixe o seu comentário

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.