Morreu a nacionalista Ana Wilson

Ana Wilson, morreu em Brazzaville, República do Congo, vítima de doença aos 80 anos.

Ana Wilson foi uma destacada nacionalista angolana, que, em meados de 1961, integrou um grupo de cerca de 100 estudantes, oriundos de Angola, de Cabo-Verde, de Moçambique e de São Tomé e Príncipe, que empreendeu fuga colectiva, de Portugal para a França, para se integrar nas fileiras nacionalistas do Movimento Popular de Libertação de Angola(MPLA).   

publicidade

Antiga funcionária dos serviços de saúde da República do Congo, Ana Wilson foi médica no hospital de Brazzaville. Tendo também prestado assistência médica e medicamentosa aos seus companheiros (e familiares) que se encontravam a fazer a luta de libertação nacional República do Congo.

“Era a nossa médica, aquela que cuidava de nós e das nossas famílias. Era muito prestativa, muito atenciosa e empenhada. Conhecemo-nos já nos finais da década de 60 quando ela a Brazzaville proveniente da Frente Leste. Guardo muito boas recordações dos nossos tempos nos ‘Maquis’. Angola perde uma grande nacionalista”, disse Adolfo Maria seu companheiro de luta em Brazzaville.

No início da década de 60, Ana Wilson foi uma das vozes femininas do agrupamento Nzaji. Criado em 1964, em Moscovo, o Nzaji foi um agrupamento que marcou a cena política e cultural nas décadas de 60 e 70, e teve um papel de destaque na mobilização para a luta de libertação nacional. Pedro de Castro Van-Dúnem “Loy”, José Eduardo dos Santos “JOES”, Fernando Assis, Fernando Castro Paiva e Maria Mambo Café eram outros integrantes do agrupamento musical que teve também Brazzaville como um dos palcos de intervenção.

Ainda na década de 70, Ana Wilson fixou residência em Ponta Negra, na República do Congo. Nascida em Luanda, a nacionalista angolana deixa dois filhos : Ângela e Eurico Wilson Paiva que se encontram a residir em França.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

Deixe o seu comentário