Morreu Billy Drago, um dos grandes “maus da fita” do cinema americano

O actor Billy Drago morreu nesta segunda-feira, 24 de Junho, em Los Angeles, informaram os seus representantes. Tinha 73 anos e a sua morte terá sido na sequência de um acidente vascular cerebral (AVC).

O seu rosto inconfundível com olhar reptiliano “condenou-o” a papéis secundários em Hollywood como gangster, barão da droga e outros vilões, durante uma carreira de quatro décadas com mais de 100 filmes e séries.

publicidade

Faça já a sua assinatura: formulário de assinatura
Contactos editoriais: jornalkandandu@gmail.com

Publicidade: vivenviaspress@gmail.com

No cinema, o seu papel mais conhecido foi em “Os Intocáveis” (1987), o filme de Brian De Palma : foi perfeito como Frank Nitti, um dos homens mais importantes na estrutura criminosa de Al Capone (Robert De Niro), tão desprezível que obrigava o impoluto Eliot Ness (Kevin Costner) a sujar as mãos, numa morte memorável.

Foi ainda “morto” por Clint Eastwood em “Justiceiro Solitário” (1985), o líder dos mutantes em “Terror nas Montanhas” (2006), de Alexandre Aja, e também esteve do lado errado da lei em “Invasão EUA” (1985), “A Face da Morte” (1988) e “Força Delta 2- Operação Estrangulamento” (1990), todos com Chuck Norris.

Além da curiosidade da curta “Michael Jackson: You Rock My World” (2011), fez muitos filmes da chamada “segunda divisão” do cinema americano, lançados directamente no mercado de vídeo e com títulos bem explícitos, tanto em inglês como em português, como “Liberdade Explosiva” (1993), “Anjo de Aço” (1993), “Esquadrão Lunar” (1995) ou “Os Filhos da Terra VII : Genésis” (2011).

Uma excepção e raro papel simpático foi o de um homem a morrer de Sida em “Mysterious Skin” (2004).

Participou como actor convidado nas séries “A Balada de Hill Street”, “Modelo e Detective” e “Ficheiros Secretos”.

Fonte: Lux.

Deixe o seu comentário